Gatinho que perdeu as patas da frente, anda como bípede. Uma fofura! [vídeo]


Com apenas 4 dias de vida Mercury sofreu um grave acidente em um cortador de gramam e perdeu grandes partes das pernas da frente e uma parte de uma de suas patas de trás. Felizmente diversas visitas ao veterinário e o tratamento adequado livraram Mercury da morte e ele alcançou a total recuperação. Próteses foram testadas, mas o gatinho não se aceitou nenhuma das tentativas. Por fim, acabou se adaptando a levar uma vida “bípede” e hoje leva a vida como qualquer gato da sua espécie.

mercury-1
Com apenas 4 dias de vida Mercury sofreu um grave acidente em um cortador de gramam e perdeu grandes partes das pernas da frente e uma parte de uma de suas patas de trás.
mercury-2
Felizmente diversas visitas ao veterinário e o tratamento adequado livraram Mercury da morte e ele alcançou a total recuperação.
mercury-3
Próteses foram testadas, mas o gatinho não se aceitou nenhuma das tentativas.
mercury-8
Por fim, acabou se adaptando a levar uma vida “bípede” e hoje leva a vida como qualquer gato da sua espécie.
mercury-10
Mecury quando ainda era bebê e se recuperava da perda das patinhas dianteiras.

 


 

 

 


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.