Você sabe para quem pode doar e de quem pode receber sangue em uma transfusão?


“Eu achava que uma pessoa só podia doar sangue para outra como o mesmo tipo sanguíneo, mas descobri que não é. Pode nos passar uma tabela e falar sobre isso?” Janaína Bittencourt

Janaína, a transfusão é um procedimento na qual o tecido conjuntivo sanguíneo de um doador é transferido a um receptor. De fato é preferível que estas pessoas possuam o mesmo grupo genotípico (O, A, B ou AB).

Mas para que a transfusão seja feita, é importante que o aglutinogênio característico (o responsável pela determinação do tipo sanguíneo encontrado na superfície das hemácias) do doador, seja compatível com a aglutinina (anticorpos que agem contra o aglutinogênio) do receptor, ou seja, a aglutinina do receptor não pode reagir com o aglutinogênio do doador. Isso é importantíssimo, pois caso sejam incompatíveis ocorrerá aglutinação (junção) das hemácias recebidas e isso pode causar sérios problemas ao receptor.

80341
De fato é preferível que estas pessoas possuam o mesmo grupo genotípico (O, A, B ou AB).

Por exemplo: Se um doador tiver aglutinogênio A só poderá doar para um receptor que não tenha aglutinina anti-A no plasma, ou seja, indivíduos do grupo A ou AB. Caso a doação seja feita para uma pessoa do grupo B ou O, por causa da aglutinina anti-A contida no plasma, ocorrerá aglutinação das hemácias doadas no interior dos vasos sanguíneos do receptor. Em outras palavras, o sangue vai ficar com aspecto de “coalhada”.


Em transfusões também analisamos o sistema Rh, onde indivíduos Rh- podem doar sangue tanto para pessoas Rh- quanto para os RH+. Já o RH+ somente pode doar para outro RH+.

Confira a tabela e tire suas dúvidas!

TABELA
Em transfusões também analisamos o sistema Rh, onde indivíduos Rh- podem doar sangue tanto para pessoas Rh- quanto para os RH+. Já o RH+ somente pode doar para outro RH+.

Fonte: Mundo Educação


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.