Nossas amígdalas têm uma função importante no organismo e não é mais recomendado retira-las.

Amígdalas: qual a função e quando é realmente preciso fazer cirurgia

“Tenho tanta amigdalite que conversei com meu médico sobre fazer cirurgia de extração das amígdalas. Ele foi contra e disse que elas têm uma importante função no organismo. Que função é essa?” Sislene

Seu médico tem razão, Sislene. As amígdalas (ou tonsilas palatinas, ihhh!!!) são estruturas formadas por uma massa de tecido linfoide, localizadas em ambos os lados da garganta. São extremamente ricas em linfócitos (células que atuam na defesa do organismo), e sua função trabalhar duro na produção de anticorpos para combater organismos patogênicos, como bactérias. Por causa disso, nossas amígdalas são grandes aliadas do sistema imunológico.

Localizadas estrategicamente na encruzilhada entre a boca, o nariz e a garganta, as amígdalas “percebem” a presença de bactérias que invadem o organismo, pelo ar ou pelos alimentos que ingerimos. Então, seu principal papel é desenvolver anticorpos para combater bactérias específicas, para que o corpo consiga se defender rapidamente e crie imunidade caso seja atacado pela mesma bactéria numa próxima vez.


Por causa da sua localização as amígdalas acabam sendo contaminadas facilmente e por isso as inflamações e infecções são bem comuns, principalmente nas crianças. Durante muito tempo, acreditava-se que as amígdalas não tinham função no organismo e por isso, quando uma pessoa desencadeava muitas infecções, os médicos recomendavam a sua retirada por meio de uma cirurgia simples. No entanto, atualmente há uma discordância dos médicos quanto a sua retirada.

Quando a cirurgia é recomendada?

De acordo com o Dr. Marcelo Scarpari, colunista do site Médico Responde, sabendo da função imunológica das nossas “tonsilas palatinas”, a sua retirada só é recomendada quando elas são muito grandes (hiperplasia) e atrapalham a respiração e alimentação.  Ele diz que a remoção cirúrgica das amígdalas (amigdalectomia ou tonsilectomia) só é indicada em casos específicos que não respondem ao tratamento clínico. Casos que causam grande incômodo ao paciente (caso da amigdalite caseosa) e/ou se repetem várias vezes ao ano, as chamadas amigdalites severas de repetição.

medicoresponde: Supe

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.