Qual é o bicho mais forte do mundo?


“Dizem que o bicho mais forte do mundo é um besouro, isso é verdade? E o elefante não é o mais forte?” Luan e Gabriel

Luan e Gabriel, se formos comparar o tamanho e com quantidade de peso de forma proporcional, ou seja, o animal que conseguisse levantar a carga mais pesada em relação à sua massa, o mais forte do planeta pode sim, ser um besouro.

Também conhecido como besouro-elefante ou besouro-hércules, o besouro-rinoceronte, nomes dados a várias espécies de besouros da família dos Scarabaeidae, que com cerca de 15 centímetros é capaz de suportar um peso equivalente a nada mais nada menos que 850 vezes o seu corpo. É muita força! Proporcionalmente é como se um homem de estatura mediana com 70 quilos pudesse levar nas costas 60 toneladas, ou seja, ou 60 carros populares ao mesmo tempo. O apelido “rinoceronte” veio por causa de uma projeção que estes animais possuem na cabeça no formato de um chifre que serve entre outras coisas para disputar com o concorrente o direito reprodutivo, em outras palavras, para brigar pela amada.

Muitas pessoas acreditam que o elefante é o animal mais forte da Terra. Sim, em termos absolutos, nenhum outro animal consegue supera-lo na força. Os elefantes podem suportar cerca de 2 mil quilos, mas isso equivale a apenas 33% de seu peso, muito menos, do que suporta o besouro-rinoceronte, em termos percentuais.

FONTE: Mundo Estranho


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.