Você sabia que existe uma praia onde a areia é totalmente preta?


Já pensou em visitar uma praia em que a areia não é branca, nem amarelada, mas sim… totalmente negra? Essa praia existe no Havaí, chama-se Punalu’u, conhecida como Praia de areia preta (Sand Black Beach). E é considerada uma das praias mais fantásticas do planeta.

Punalu’u possui a areia preta devido a atividade vulcânica naquela região. A areia é formada pela lava que escorre para as águas frias do oceano, um resultado da erosão de rocha vulcânica que é riquíssima em ferro, não-radioativa e densa, formada por basalto. O basalto é uma rocha íngea  (magmática), com granulação muito fina composta de cristais de diversos tamanhos. A praia, por ser cheio de rochas, é muito perigosa  para nadar e  podem ser avistadas tartarugas verdes que visitam a praia para descansar.

Nessa praia, dentro da água salgada, possui ainda uma grande quantidade de água doce subterrânea fluindo que é muito fria, o que resulta numa diferença de densidade que dá um visual incrível. Ainda  é absolutamente proibido levar porções de areia e rochas. Segundo as lendas locais contada pelos nativos, a pessoa que ousar levar areia ou pedra será amaldiçoado pela deusa havaiana do vulcão até que seja devolvido.


FONTE: To Hawaii


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.