É verdade que a coruja pode virar a cabeça 360 graus?


“Gostaria de saber se a coruja pode mesmo virar a cabeça 360 graus. Se isso é possível, gostaria de saber como ela consegue fazer isso e por que faz isso.” Rogério Garcia

Rogério, a coruja não pode virar a cabeça 360 graus, mas pode chegar até a 270 graus de um lado para outro e 180 graus para cima e para baixo conseguindo com isso, observar todo o espaço ao seu redor sem precisar mexer o corpo. Acredita-se que essas aves desenvolveram esta excepcional capacidade, devido a localização dos globos oculares que são estruturas grandes, mas quase imóveis o que acaba limitando os movimentos dos seus olhos.

Mas como elas conseguem? Apesar de passar a impressão de ter um pescoço grosso por causa da plumagem, as corujas possuem o pescoço bem fino e articulável. Suas vértebras são muito mais móveis do que as vértebras comuns dos mamíferos. Além de a coluna cervical ser formada por vértebras extremamente flexíveis, essas aves ainda possuem em torno de 13 vértebras no pescoço, enquanto nós temos apenas sete. Tudo isso resulta nesta incrível capacidade de estar “sempre ligada” aos movimentos que a cercam.

Essa habilidade junta a ótima visão e a audição melhorada, ou seja, ao virar a cabeça, visão e audição estão apontadas para mesma direção. Além disso, o disco facial, sempre bem destacado pela plumagem, funciona como uma antena parabólica, que capta e amplia os menores ruídos. Como são boas caçadoras, elas ainda possuem os ouvidos desalinhados que ajuda na localização precisa do alvo.

 


FONTE: Revista Galileu e Biodiversity Reporting


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.