Mar morto: o lugar onde é possível flutuar sobre as águas…

Mar Morto: Como é possível as pessoas flutuarem na água

“Poderia falar sobre o mar morto? Me disseram que as pessoas não afundam nele e por isso tem esse nome. É verdade? Como é possível as pessoas flutuarem na água?” (Gustavo Lira)

O Mar Morto, Gustavo, é também conhecido como lago Asfaltite, no velho testamento conhecido como “mar de sal”, tem esse nome pouco simpático devido a sua salinidade excessiva chegando ao nível de salinidade entre 28% e 35%, isso significa que em cada litro de água temos de 280g a 350g de sal. Para vocês terem uma ideia de tamanha salinidade, a água dos mares que conhecemos possui em torno de 30g de sal por litro de água.

O mar Morto é tão salgado porque é completamente isolado do mar e por isso qualquer água doce ou salgada que atinge o mar Morto fica aprisionado até evaporar. Isso acontece porque ele está localizado no Oriente Médio, na região interior da Palestina, uma região quase desértica com temperaturas muito altas. Quando a água evapora, os minerais salgados são deixados para trás, fazendo com que a água restante se torne mais e mais concentrada com sal.


Biologicamente, o mar Morto está realmente morto. Não existe forma de vida que suporte tamanha salinidade, com exceção da bactéria Haloarcula marismortui, que consegue filtrar os sais e sobreviver nesse cemitério marítimo. Isso significa que não temos peixe, nem crustáceos, nem moluscos. Todos os organismos vivos que chegam lá morrem quase que instantaneamente.

O mais interessante deste lugar único do planeta é que os altos níveis de conteúdo mineral tornou a água extremamente densa e por isso é impossível afundar na água do mar Morto. Os banhistas se divertem balançando ou lendo livros na água sem afundar mesmo nos locais mais fundos, o que torna o mar Morto incrivelmente fascinante. Além disso, acredita-se que a lama do mar é terapêutica aliviando sintomas de doenças como fibromialgia, psoríase, dermatite atópica, entre outras.

How stuff works e Mundo Estranho

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.