Por que músicas ficam na nossa cabeça?


“Karlla, por que algumas músicas ficam na nossa cabeça e não saem de jeito nenhum? Existe alguma explicação para isso?” (Felipe Daniel)

Verdade Felipe, tem músicas que ficam grudadas em nossas cabeças, ficam ali o dia todo. Isso acontece com todo mundo. Carinhosamente chamado de “earworms” (vermes de ouvido), é como se as músicas causasse um tipo de “coceira cognitiva” ou “coceira cerebral” , uma necessidade do cérebro de preencher lacunas no ritmo de uma música.


As músicas ativam uma parte do cérebro chamada córtex auditivo e quando ouvimos uma música conhecida, mesmo que seja só um trecho, nosso cérebro pode continuar preenchendo o resto e quanto mais tentamos nos livrar, mais o cérebro insite em continuar, causando um ciclo musical interminável. São como pensamento que estamos tentando suprimir, quanto mais tentamos não pensar neles, mais pensamos.

Cada um com sua teoria, os pesquisadores garantem que os “earworms” são simplesmente uma maneira de manter o cérebro ocupado quando ele está ocioso. Existem vários nomes estranhos para essa mania do cérebro de repetir músicas de “repetunitis” a “melodiamania“. Afff, tem louco pra tudo!!!!

earworm-49616a7b83ee8bdd8ea8204b1f06933e4cf3ef05-s6-c30
Ficar com músicas na cabeça é uma estratégia para manter o cérebro ativo e ocupado!

———————————–


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.