As bijuterias inflamam sua orelha porque você é alérgica a uma substância usada para dar brilho ao brinco. Entenda!

bijuterias inflamam orelha

“Gostaria de saber por que a orelha inflama em contato com alguns tipos de bijuterias? Sempre tive essa curiosidade.” Camila Mendes

Camila, sei como mulher odeia ver bela bijuterias e não poder usar por causar “orelha inflamada”. Bem, na verdade, a causa dessa reação do organismo geralmente, é uma sensibilidade que algumas pessoas tem a um metal chamado Níquel, que é usado para dar o brilho às bijuterias. A alergia ao níquel pode ocorrer a qualquer momento e, infelizmente, o problema acompanha por toda vida, numa condição crônica.

O níquel é um metal comum e barato, capaz inclusive de penetrar através do ouro e da prata, fazendo com que os alérgicos devam evitar jóias folheadas, pois com o uso contínuo o contato com o níquel é inevitável. É importante salientar que a alergia pode ser de metais como o ouro e a prata, que muitas vezes são vendidos como “puros” mas contém uma pequena porcentagem de níquel na sua composição.

Nessas reações alérgicas o níquel funciona como o alérgeno (o causador da sensibilidade) e ao entrarmos em contato com ele criamos uma memória imunológica. Células chamadas linfócitos (um tipo de glóbulos branco), armazenam essa memória e têm capacidade de se “lembrar” daquele metal, produzindo anticorpos. Essa memória geralmente se forma logo nos primeiros contatos com o níquel e por isso atormentam o alérgico sempre que um metal com níquel entrar com contato com a pele.


A chamada Imunoglobulina E é um sinalizador que ativa outras células a reagirem e liberarem histamina, substância que em excesso ocasiona os sintomas mais comuns de alergia, como coceira, vermelhidão que se por insistência, o material (no caso um brinco) não for removido, desenvolve uma inflamação e depois uma infecção.

Resumindo: As pessoas com constantes inflamações nos lóbulos das orelhas pelo uso de brincos de metal podem ser alérgicas ao material. Uma vez que a inflamação acontece, a alergia é para sempre. Nosso corpo desenvolve anticorpos específicos e cria uma ”memória”, logo não há remédio que bloqueie o processo. Assim, depois da crise é importante evitar o uso de objetos que desencadeiam a reação. As bijuterias podem ser substituídas por produtos como acrílico, madeira, ouro e prata.

FONTE

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.