Por que os olhos parecem pesados quando estamos com sono?


“Zzzzzzzzzzzzz … Por que os olhos teimam em fechar quando estamos com sono? Parecem mais pesados, é difícil controlar.” Regina Pereira – Porto Velho


É verdade Regina, quando estamos com sono os olhos parecem pesados, mas isso nada mais é do que uma reação ao relaxamento da nossa musculatura ocular, que na verdade é uma das etapas que preparam nosso corpo para o descanso revigorante.

O preparo do organismo para o sono atinge as pálpebras primeiro, principalmente por serem regiões mais sensíveis do corpo, com uma camada muito fina de pele e músculos. Quando o corpo está muito cansado, o hipotálamo (uma das regiões do cérebro) manda ao sistema músculo-esquelético uma mensagem que o faz perder, aos poucos, o tônus muscular, causando uma espécie de enfraquecimento muscular. Por causa disso, é impossível o ser humano dormir de pé, precisa, pelo menos, estar sentado ou encostado em algum lugar, senão cai. O início desse processo varia para cada pessoa, mas de acordo com estudos, em média, o ser humano fica acordado 16 horas até começar a sentir sono novamente.

1
As pálpebras são uma das primeiras regiões do corpo a se preparar para o sono!

Fonte: MUNDO ESTRANHO


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.