O que acontece com o fio de cabelo durante o alisamento?


“O que acontece no cabelo crespo quando ele passa por um alisamento (escova progressiva ou outra química)? Por que ele fica liso? Por que depois, o cabelo não fica sempre liso?’ Andréa M. Oliveira

Boa pergunta Andréa! Para entendermos como funciona o alisamento químico do cabelo do ponto de vista biológico, precisamos entender como a estrutura do cabelo é formada. Bem nosso cabelo é formado por estruturas que chamamos de “ponte de dissulfeto”. O que parece determinar a textura (lisa ou crespa) é a quantidade dessas pontes que o cabelo tem. Assim, quanto mais pontes, mais crespo e quanto menos pontes, mais liso.


As células do nosso folículo piloso produzem várias proteínas, sendo a queratina a mais expressiva. As proteínas possuem átomos de enxofre, e quando dois destes dois átomos de enxofre se juntam, eles formam uma ligação de dissulfeto. Se os dois átomos de enxofre na mesma proteína estiver perto um do outro a proteína irá dobrar para formar a ligação dissulfeto. Assim, como já foi dito, quanto mais ligações mais átomos de enxofre, mais átomos estarão próximos um dos outros “doidinhos” para se dobrar para formas as pontes de dissulfeto.

A química usada no salão para alisar (progressiva, hidróxido, guanidina etc), altera os fios obrigando-os a assumir um estado reto, forçando que os átomos de enxofre das pontes se soltem ao máximo possível. O mesmo acontece ao contrário: se um cabelo é muito liso e o procedimento é um permanente, a alteração química força a formação de fortes pontes de dissulfeto. Seja um ou seja outro, o procedimento é temporário, pois o cabelo que é originalmente crespo não sofre alteração da química dentro do folículo piloso, onde é formado. Assim, pode alisar a vontade, o cabelinho crespo sempre vai estar lá olhando para você!

Nosso cabelo é formado por estruturas que chamamos de “ponte de dissulfeto”. O que parece determinar a textura (lisa ou crespa) é a quantidade dessas pontes que o cabelo tem. Assim, quanto mais pontes, mais crespo e quanto menos pontes, mais liso.

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.