Os insetos namoram?


Eu sei que os insetos se reproduzem, e que os filhotes são larvas: tipo o filhote da borboleta é a lagarta. Mas eles precisam ter relações sexuais como nós para ter os insetinhos?” Paulo César, 12 anos

Paulo, as larvas dos insetos não são chamadas de filhotes, e sim de imaturos, ok? Mas é claro que os insetos fazem tem relações sexuais! E por que não fariam? Eles são invertebrados, frágeis e alguns são tão pequenos que mal podemos ver, mas precisam copular para se reproduzir. Insetos, geralmente possuem sexos separados (macho e fêmea) e a sua fecundação é interna. Eles passam praticamente suas vidas adultas inteiras acasalando. Afinal, para eles o grande sucesso de sua vida é conseguir a maturidade sexual e procriar. Em geral o processo de acasalamento para a maioria dos insetos é a mesma.

Os insetos usam várias habilidades para rastrear um companheiro: Por exemplo, as moscas possuem em seu sistema de navegação: olhos compostos e visão perfeita e um olfato apuradíssimo. Quando esses sentidos revelam a presença de um parceiro em potencial, o acasalamento pode acontecer até mesmo durante o vôo, para não haver perda de tempo. Libélulas são muito agressivos na época de reprodução, defendem o companheiro e o local em que eles escolhem para colocar seus ovos e para isso, se for preciso atacam até humanos se sentirem que os ovos estão em perigo!

Esse ritual dos insetos não parece se diferenciar muito de nós e dos outros bichos. A maioria dos insetos libera uma espécie de perfume (chamamos de feromônios), a fim de atrair um parceiro. Grande maioria deles usa o feromônio para tornar-se “mais atraente” para o parceiro. Borboletas passam grande parte do tempo, dia após dia, na tentativa de atrair um companheiro, usando cores e sinais visuais que fazem parecer mais bonita para o outro. As fêmeas de vaga-lume piscam suas luzes em código que só o macho da espécie entende, para mostrar sua “disponibilidade”, que oferecida! E os grilos e cigarras, então? Fazem aquela serenata que deixa qualquer um maluco!


fotos_macros_20100420_1745168970
Moscas em seu momento íntimo.

Algumas fêmeas podem ter com vários parceiros diferentes durante sua vida. Outras devoram o macho logo após a cópula porque sentem uma necessidade muito grande de comida para desenvolvimento dos ovos. É o que acontece com o Louva-Deus. Uma exceção quanto a cópula não ocorre. Alguns insetos, como algumas abelhas, podem se reproduzir por partenogênese. Nesses casos, a reprodução é assexuada, onde o embrião se desenvolve de um óvulo sem ocorrência da fecundação.

Hoverflies_mating_midair
Moscas da família Sirphidae, namorando enquanto voa.
insects_mating
Percevejos coloridos também namoram!
libelula
o casal de libélulas formam um coração durante a cópula. Que romântico!
fotos_macros_20100420_1078088451
Besourinhos em cópula!

——————————————–

Esse texto (e modificações) com certeza estará no meu livro.


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.