Meio Ambiente e lugares – Diário de Biologia http://diariodebiologia.com Agora ficou divertido aprender! Fri, 24 Mar 2017 16:25:04 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.3 5538239 Estudo científico explica porque seu cachorro olha para você enquanto está fazendo cocô http://diariodebiologia.com/2017/03/estudo-cientifico-explica-porque-seu-cachorro-olha-para-voce-quando-esta-fazendo-coco/ http://diariodebiologia.com/2017/03/estudo-cientifico-explica-porque-seu-cachorro-olha-para-voce-quando-esta-fazendo-coco/#respond Fri, 24 Mar 2017 16:15:08 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38860

Estas são umas das coisas que seu cãozinho faz sempre e que você nunca se perguntou a causa. Isso é supernormal. Em algumas raças, é comum que os cachorros olhem bem no fundo dos olhos de seus donos quando precisam fazer o número dois. Para tirar essa dúvida de uma vez por todas, etólogos – cientistas que estudam comportamento animal –fizeram desta situação um artigo científico onde estudaram as possíveis causas para a “encarada” na hora do cocô. Como conclusão eles mostraram algumas causas.

Segundo o artigo, que foi publicado no jornal científico Hormones and Behavior, foram medidas medirem as respostas psicológicas do animal durante esse momento de intimidade compartilhada. Ao que parece, o olhar mútuo produz uma reação fisiológica similar à que acontece entre uma mãe e seus filhos, ou seja, o cão acha realmente que você é a mãe dele. Madeline Friedman, especialista em comportamento animal, acredita que o cachorro está, na verdade, esperando por uma “recompensa” uma vez que, para eles, escolher um bom lugar para fazer cocô é uma tarefa que merece elogio do seu dono.

Uma terceira hipótese é a de que ele esteja em busca de confirmação. Algo do tipo: “Posso fazer isso aqui?“, seria a pergunta por trás do olhar característico. Durante o tempo de convivência com seu cão, certamente alguma vez aconteceu dele deixar um “presentinho” em algum lugar inapropriado e acabar sendo repreendido. Então, segundo os especialistas, é possível que ele não tenha esquecido tal episódio e esteja com medo de errar outra vez.

Causa evolutiva

No entanto, a hipótese que parece mais óbvia é a hipótese evolutiva. O olhar de seu cachorro para você pode ser uma herança do comportamento dos ancestrais dele (os lobos, no caso), que se sentiam desprotegidos nessa posição propícia ao número dois. Assim, olhando para você, que é uma autoridade para ele, o cachorro podem estar certificando de que estão seguros nesses momentos íntimos. “A sensação de estar indefeso é uma herança de seus ancestrais, os lobos, que ainda precisam se defender na natureza. Acredito que cachorros querem ter certeza de que estão protegidos enquanto estão nessa posição“, explicou a especialista.

Fontes: thedodo / revistagalileu / segredosdomundo
Artigo: Nagasawa M. et. al
Imagens: Reprodução/ tudosobrecachorros / naoacredito
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/estudo-cientifico-explica-porque-seu-cachorro-olha-para-voce-quando-esta-fazendo-coco/feed/ 0 38860
Viver próximo a rodovias pode detonar sua saúde da mesma forma que fumar 10 cigarros por dia, diz estudo http://diariodebiologia.com/2017/03/viver-proximo-a-rodovias-pode-detonar-sua-saude-da-mesma-forma-que-fumar-10-cigarros-por-dia-diz-estudo/ http://diariodebiologia.com/2017/03/viver-proximo-a-rodovias-pode-detonar-sua-saude-da-mesma-forma-que-fumar-10-cigarros-por-dia-diz-estudo/#respond Tue, 14 Mar 2017 16:57:59 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38747

Você passou a vida inteira evitando cair no vício do fumo, ensinou aos seus filhos que fumar é perigoso, mas comprou uma casa nova próximo a uma avenida movimentada da cidade.  Errou feio! Cientistas holandeses, publicaram um estudo no Journal of Environmental Research, onde revelam uma análise comparativa dos efeitos do tabagismo e a vida próximo a ruas movimentadas, como rodovias e avenidas. Os resultados não são animadores, pois os pesquisadores acreditam que as partículas de poluição liberadas pelo tráfego de carros podem estar por trás de um grande problema.

A equipe concluiu que ter uma casa ou trabalhar próximo a rodovias onde trafegam muitos veículos diariamente pode ser tão prejudicial quanto fumar passivamente 10 cigarros por dia. Ao seja, onde você mora pode influenciar gravemente nas suas chances de contrair doenças cardíacas, problemas respiratórios e câncer de pulmão. A pesquisa também revelou que a poluição causa cerca de 4.500 nascimentos prematuros por ano. Para Saskia van der Zee, uma das autoras do projeto, comparar os efeitos da poluição ao fumo passivo provocaria a compreensão dos riscos pelos políticos e pelo público. “Eles têm o mesmo efeito sobre a saúde, mas é muito mais fácil conseguir uma proibição para o cigarro do que uma para a poluição do ar”.

Enquanto isso, na Grã-Bretanha o Royal College of Physicians adverte que a poluição do ar mata 40.000 pessoas por ano. Segundo este último estudo, a Grã-Bretanha está prestes a enfrentar uma calamidade na saúde se os carros a diesel não forem imediatamente retirados das estradas.  Diversas evidências associam os impactos de saúde com o dióxido de nitrogênio e minúsculas partículas de fuligem emitidas por motores a diesel. Estas toxinas, quando adicionadas à poluição de fábricas, podem criar uma fumaça mortal. Os cientistas concluíram que um veículo com motor típico a diesel emite dez vezes mais dióxido de nitrogênio do que um equivalente movido a gasolina.

Um estudo diferente realizado por cientistas da Universidade de Brown ( EUA) e publicado no Jornal americano “Heart Association” ,  alerta que viver perto de uma Rodovia, é tão prejudicial para o coração quanto a obesidade e o cigarro, e podem pode aumentar o risco de ter hipertensão arterial, sendo considerado um dos problemas mais importantes de saúde pública, principalmente nos países desenvolvidos.

Fonte: thesun /  clinicavazmed / dailymail / jornalciencia
Imagens: Reprodução/band.uol / oglobo
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/viver-proximo-a-rodovias-pode-detonar-sua-saude-da-mesma-forma-que-fumar-10-cigarros-por-dia-diz-estudo/feed/ 0 38747
Coelhos estão sendo oferecidos como presentes de páscoa. Veja porque essa prática deve ser evitada urgentemente! http://diariodebiologia.com/2017/03/coelhos-estao-sendo-oferecidos-como-presentes-de-pascoa-veja-porque-essa-pratica-deve-ser-evitada-urgentemente/ http://diariodebiologia.com/2017/03/coelhos-estao-sendo-oferecidos-como-presentes-de-pascoa-veja-porque-essa-pratica-deve-ser-evitada-urgentemente/#respond Tue, 14 Mar 2017 08:36:55 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38740

Todo ano é assim: a páscoa se aproxima e as pessoas querem “incrementar” seu presente. Além do chocolate presenteiam seus entes queridos com coelhinhos fofinhos de verdade. “Ownn, que fofo! ”. De fofo não tem nada.

Muitas pessoas ficam encantadas em receber os coelhinhos como presente e acabam ficando com os animaizinhos por impulso, sem conhecer, entretanto, nada sobre os hábitos, comportamento e ambiente ideal para a sobrevivência básica do animal.

Antes de você aceitar ou pensar em dar coelhos de presente, é importante separar o fato da ficção. Estes bichinhos podem viver até 10 anos, precisam de alimentação adequada com ração controlada e feno ilimitado, muita higiene no ambiente, caso contrário podem adquirir parasitas ficando depressivos e, precisam, obviamente de algum espaço para brincar e explorar o ambiente. Além disso, precisam de vacinas e ter o pelo escovado diariamente. São bichinhos silvestres que não gostam de ficar colo, também não odeiam ser perseguidos. Se são incomodados podem morder e morder forte, pois tem os dentes bem afiados e esta é a sua única defesa.

Inacreditavelmente, a maioria das pessoas que são presenteadas com coelhos na páscoa acabam abandonando o animal quando percebem o quanto trabalhoso é o convívio. Ter um coelho, é muito mais atribulado do que ter um gatinho ou um cão. Os cães e gato defecam 2 vezes ao dia em média. Os coelhos liberam pelo menos 300 bolinhas de cocô no ambiente todos os dias.

Coelha abandonada tinha dificuldades para comer por conta dos dentes muito grandes.

Antes de presentear ou aceitar um coelho como presente, pense que você estará alimentando a indústria de comércio desses animais. Saiba que depois da Páscoa, aparecem montes para serem adotados… Quem estiver consciente dos cuidados e quiser adquirir mais de um animal, deve estar atento que todos devem ser castrados para evitar a procriação, nascimento descontrolado e abandono futuro. Castração de coelhinhos é só com veterinário especializado em silvestres e não existe a baixo custo!

Ensine seus filhos, netos, irmãos menores, sobrinhos, afilhados que é preciso ter respeito e responsabilidade com os seres vivos, e não a descartá-los como se fossem objetos. Infelizmente, não existe lar para todos e por isso, precisamos controlar a reprodução desenfreada.

Fonte: Só Uma Teoria / campanhafacebookcoelhosminirp /
Imagens: g1.globo /campanhafacebook
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/coelhos-estao-sendo-oferecidos-como-presentes-de-pascoa-veja-porque-essa-pratica-deve-ser-evitada-urgentemente/feed/ 0 38740
Pesquisadores descobrem que “doença da urina preta” é causada pelo consumo de peixes infectados por uma toxina http://diariodebiologia.com/2017/03/pesquisadores-descobrem-que-doenca-da-urina-preta-e-causada-pelo-consumo-de-peixes-infectados-um-por-uma-toxina/ http://diariodebiologia.com/2017/03/pesquisadores-descobrem-que-doenca-da-urina-preta-e-causada-pelo-consumo-de-peixes-infectados-um-por-uma-toxina/#respond Mon, 13 Mar 2017 20:45:39 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38733

Uma misteriosa doença que provoca escurecimento da urina acometeu dezenas de pessoas na Bahia no final de 2016. Tratada a princípio como uma infecção viral ou bacteriana, finalmente foi revelada a doença que envolve este sintoma assustador. Ao mesmos pesquisadores que identificaram o vírus da zika na Bahia, chegaram à conclusão de que a urina preta é uma das manifestações da Doença de Haff, causada pelo consumo de peixes infectados por uma toxina presente em algas e corais.

Os cientistas analisaram amostras de fezes, urina e sangue de 15 pacientes que estavam com micção enegrecida. Todos eles revelaram ter comido peixe pelo menos 24 horas antes do aparecimento dos primeiros sintomas. Entre as espécies ingeridas estão olho-de-boi (Seriola spp) e badejo (Mycteroperca spp). A toxina não altera o sabor do alimento, nem muda sua cor, nem é destruída pelo processo normal de cozedura, por isso qualquer peixe pode estar contaminado e a pessoa ingerir, sem saber.

A doença é Haff é uma doença rara que causa intensa dor nos músculos, que surge de forma repentina, além de urina preta 24 horas depois do consumo de peixe contaminado. Acredita-se que o peixe deve estar contaminado com alguma toxina biológica mas desde o aparecimento dessa doença na década de 20, até hoje esta toxina ainda não foi identificada.

Um ESTUDO de 2016 relatou casos desta doença na Amazônia e, segundo os pesquisadores, a Doença de Haff tem como manifestações clínicas mialgia súbita e grave, fraqueza, rigidez muscular, não se observando febre, disfunção hepática ou dano renal. Os critérios definidores são história de ingestão de peixes 24 horas antes do início dos sintomas, elevação dos níveis da enzima Creatina Quinase (CK). No Amazonas os peixes de água doce pacu-manteiga (Mylossoma duriventre), tambaqui (Colossoma macropomum) e pirapitinga (Piaractus brachypomus) foram os causadores.

Na maior parte das vezes a doença não é tão grave que possa levar a morte, e a maioria dos pacientes afetados melhoram tendo rápida recuperação, mas por vezes, quando o tratamento não é realizado a doença pode se agravar e levar a condições mais graves como a falência múltipla dos órgãos.

É imprescindível o acompanhamento do nefrologista em casos de Doença de Haff.

Fontes: tuasaude / vix / g1.globo
Artigo: Raquel Moraes et. al
Imagens: Reprodução/ irecelider / atarde
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/pesquisadores-descobrem-que-doenca-da-urina-preta-e-causada-pelo-consumo-de-peixes-infectados-um-por-uma-toxina/feed/ 0 38733
Entenda porque você nunca vê os filhotes de pombos http://diariodebiologia.com/2017/03/entenda-porque-voce-nunca-ve-os-filhotes-de-pombos/ http://diariodebiologia.com/2017/03/entenda-porque-voce-nunca-ve-os-filhotes-de-pombos/#respond Fri, 10 Mar 2017 15:47:19 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38682

“Porque a gente nunca vê filhote de pombo nas ruas? Será que eles nascem grandes? (rss…) [Mauro]

Mauro, como você sabe, a maioria em áreas metropolitanas estão recheadas de pombos (adultos) por toda parte. Em locais onde as pessoas habitualmente os alimentam a situação é ainda pior.  Muita gente não sabe, mas, os pombos foram trazidos pelos imigrantes europeus no Século XVI, para serem criados como animais domésticos. Na Europa, eram criados e treinados para diversas funções, dentre elas a mais conhecida “pombo correio”. Com o tempo, os donos foram perdendo o interesse nas suas criações e alguns exemplares foram soltos, ou fugiram. Deu no que deu.

Mesmo com tantas aves adultas rondando nossas cabeças e fazendo suas necessidades onde bem entendem, os filhotes nunca são vistos. Por mais pombos que você veja, os filhotes jamais aparecem. Isso acontece porque, apesar de serem totalmente adaptados à vida entre os humanos, os pombos ainda preferem manter sua família em segurança e na hora da reprodução assumem sempre um comportamento bem discreto, principalmente quando se diz respeito a suas crias.

Este comportamento, segundo informação de especialistas, foi herdado de seus ancestrais.  Os pombos da espécie Columba livia domestica, que habitam nossas cidades, descendem do pombo-comum (ou pombo-das-rochas). Os dois são essencialmente o mesmo pássaro. E, mesmo sendo bastante independentes e cosmopolitas, em matéria de reprodução os pombos urbanos ainda são bem discretos ao montar seus ninhos. “Em seu estado natural e selvagem, esse animal vive nos rochedos mais altos próximos ao mar, vivendo em pequenas cavernas a maior parte do ano”, explicou o zoólogo William Yarrell no livro  History of British Birds. Assim, faz parte de sua natureza manterem seu ninho o mais escondido possível.

Ao contrário dos outros pássaros, os pombos não deixam que seus filhotes jovens saiam do ninho até poderem se cuidar definitivamente sozinhos. Assim, eles permanecem no ninho por 40 dias, sendo alimentados por seus pais. Apesar de não parecer muito tempo para nós, a verdade é que, para um filhote de pombo, esse período é tempo suficiente para se tornar praticamente um adulto. Então, quando eles finalmente podem deixar o ninho, já estão iguais aos adultos em aparência física.

Prestando bastante atenção, é possível distinguir um pombo jovem de um mais velho. O jovem provavelmente ainda não terá tiras verdes e roxas ao redor do pescoço.

Fontes: revistagalileu/ segredosdomundo / fatosdesconhecidos
Imagens: Reprodução/ artesvaf / fatosdesconhecidos
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/entenda-porque-voce-nunca-ve-os-filhotes-de-pombos/feed/ 0 38682
De uma forma bastante diferente, pesquisadores descobrem que os Neandertais já faziam uso de aspirina e antibióticos http://diariodebiologia.com/2017/03/de-uma-forma-bastante-diferente-pesquisadores-descobrem-que-os-neandertais-ja-faziam-uso-de-aspirina-e-antibioticos/ http://diariodebiologia.com/2017/03/de-uma-forma-bastante-diferente-pesquisadores-descobrem-que-os-neandertais-ja-faziam-uso-de-aspirina-e-antibioticos/#respond Thu, 09 Mar 2017 19:15:17 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38671

Um estudo novíssimo organizado pelo Centro Australiano de Genoma, juntamente com a Escola Odontológica da Universidade de Adelaide e de Liverpool no Reino Unido, revelou uma novidade sobre nossos ancestrais, os neandertais. Uma análise de um DNA encontrado na placa dentária presente em quatro arcadas coletadas nas cavernas em Spy, na Bélgica, e em El Sidrón, Espanha, revelou informações surpreendentes sobre o seu comportamento, evolução histórica e dieta.

A revelação que causou mais euforia foi sem dúvida de que os neandertais usavam medicamentos à base de plantas para tratar a dor de cabeça, de dente e outras. Segundo Laura Weyrich, uma das responsáveis pelo estudo, a placa dentária encontrada, preservou o DNA por milhares de anos. A placa segura microrganismos, agentes patogênicos dos aparelhos respiratório e gastrointestinal, bem como pedaços de comida presos nos dentes. Foi assim que puderam saber coisas como o que os neandertais comiam e as doenças que sofriam.

Uma das arcadas de um homem de Neandertal de El Sidrón, tinha um abcesso dentário já em estado bastante evoluído e a placa deste mesmo homem também alertava para a presença de uma infecção crônica causada por uma bactéria patógena gastrointestinal (Enterocytozoon bieneusi ) intestinal que lhe causava diarreia aguda. Ele estava bem doente e estava fazendo uso de álamo (Populus sp.) da família das Salicáceas, rica em Ácido salicílico, o ingrediente ativo da aspirina que tomamos hoje. Para a infecção o homem ingeria o fungo do gênero Penicillium, a fonte de penicilina. “O mais surpreendente, foi o uso de antibióticos 40.000 anos antes de ser descoberta a penicilina.” disse Alan Cooper, diretor do Centro Australiano de Genoma.

O mais surpreendente, foi o uso de antibióticos 40.000 anos antes de ser descoberta a penicilina.
Fontes: nature / Populus
Artigo: Weyrich, LS et al
Imagens: Reprodução/ zap.aeiou / kokorosot
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/de-uma-forma-bastante-diferente-pesquisadores-descobrem-que-os-neandertais-ja-faziam-uso-de-aspirina-e-antibioticos/feed/ 0 38671
“Está estressado? Vai para o mato! ” Estudo diz que cheirinho de natureza ativa o sistema imunológico e previne estresse e câncer http://diariodebiologia.com/2017/03/esta-estressado-vai-para-o-mato-estudo-diz-que-cheirinho-de-natureza-ativa-o-sistema-imunologico-e-previne-estresse-e-cancer/ http://diariodebiologia.com/2017/03/esta-estressado-vai-para-o-mato-estudo-diz-que-cheirinho-de-natureza-ativa-o-sistema-imunologico-e-previne-estresse-e-cancer/#respond Thu, 09 Mar 2017 15:57:55 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38665

Cientistas da escola de medicina Nippon, em Tóquio, analisaram o efeito terapêutico dos aromas das árvores e este estudo pode dar origem a um novo tratamento alternativo utilizando a aromaterapia. A ideia é que os cheiros da natureza, vindos óleos essenciais das árvores, possam diminuir dramaticamente a pressão do corpo humano e ainda estimular moléculas que combatem doenças diversas como o câncer.

Para estudar o efeito dos cheiros exalados pela floresta sobre o sistema imunológico humano, eles investigaram substâncias chamadas fitonetos (óleos essenciais de madeira) e quais seriam sua ação sobre a atividade das células Natural Killer (NK). Os fitonetos aumentaram consideravelmente a atividade citotóxica das células NK (do sistema imunológico) aumentando assim, sua capacidade de destruir não só invasores externos no organismo, como também impedir a multiplicação de células cancerosas.

Segundo o estudo, assim que os odores da floresta penetram o nosso organismo, os níveis de estresse e irritação diminuem-se prontamente. A exposição mais demorada e intensa ao cheiro do verde pode reduzir a pressão arterial e fortalecer a imunidade dos corpos. A ação inspirou os finlandeses, que criaram o Finnish Forest Research Institute, centro de referência que também estuda os fins terapêuticos dos cheiros das árvores.

Embora os cientistas ainda não tenham concluído as pesquisas sobre os efeitos dos que sentimos nas florestas, já foi comprovado que olhar para fotografias com temas relacionados ao meio ambiente relaxa o cérebro da mesma maneira que se o indivíduo estivesse no local fotografado.

Que tal marcar aquela caminhada com a galera para o próximo final de semana?

Fontes: ciclovivo / hypeness
Artigo: Li Q et. al
Imagens: Reprodução/senderocircular /
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/esta-estressado-vai-para-o-mato-estudo-diz-que-cheirinho-de-natureza-ativa-o-sistema-imunologico-e-previne-estresse-e-cancer/feed/ 0 38665
Elas vivem 40 anos sofrendo em silêncio: A triste realidade das aves torturadas pelo Carnaval http://diariodebiologia.com/2017/02/elas-vivem-40-anos-sofrendo-em-silencio-a-triste-realidade-das-aves-torturadas-pelo-carnaval/ http://diariodebiologia.com/2017/02/elas-vivem-40-anos-sofrendo-em-silencio-a-triste-realidade-das-aves-torturadas-pelo-carnaval/#respond Mon, 27 Feb 2017 17:01:06 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38567

Os desfiles das escolas de samba atraem visitantes do mundo inteiro, encantados com o samba e as cores das fantasias. Poucos se questionam sobre a origem de tantas plumas e penas que adornam os corpos das musas dos desfiles. Segundo informações do site ANDA, as escolas ainda não abrem mão destes adereços, símbolos do carnaval.

Ao que parece, as alas comuns já usam penas e plumas artificiais. O problema está nas rainhas e madrinha de bateria, que precisam de fantasias mais luxuosas, glamorosas. Infelizmente, como elas saem na mídia, buscam os materiais mais nobres, de origem animal, como o faisão ou o avestruz. Os avestruzes, por exemplo, são mantidos em confinamento e vivem aproximadamente 40 anos, durante os quais têm uma retirada anual das plumas.

Geralmente, quando se toca no assunto da procedência das penas, os responsáveis pelos adereços luxuosos dizem que as penas caem naturalmente e são recolhidas durante todo o ano. Não é nada disso! Eles arrancam as penas com um método conhecido como “zíper” em que as aves são levantadas pelo pescoço, as pernas amarradas e então as suas penas são arrancadas manualmente e a seco. Este processo provoca dor, sofrimento e as deixa expostas ao sol e a infecções graves. A luta dos animais durante este processo chega a provocar fraturas.  É muito triste     que as penas destas aves sejam uma verdadeira “mina de ouro”: uma única pena de faisão, por exemplo, pode chegar a custar R$ 100.

Este processo começa quando os animais têm 10 semanas de idade e se repete em intervalos de quatro a seis semanas até a exaustão, quando as aves são mortas ou são alimentadas à força para a indústria de foie gras. A indústria considera que as penas arrancadas de aves vivas têm melhor qualidade, e o processo, mais econômico, uma vez que as aves podem ser depenadas inúmeras vezes antes de serem mortas.

Os maiores produtores de acessórios de penas são a Hungria, a China e a Polônia, e todas as três utilizam o processo de colheita em animais vivos. 80% da penugem e das penas do mundo vem da China (para variar!).

Fontes: naoacredito / anda / anda.jor /
Imagens: Reprodução/ baike.m / noticias / soama
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/02/elas-vivem-40-anos-sofrendo-em-silencio-a-triste-realidade-das-aves-torturadas-pelo-carnaval/feed/ 0 38567
Motivo para muita preocupação: a poluição está colocando os ursos polares em sério risco http://diariodebiologia.com/2017/02/motivo-para-muita-preocupacao-a-poluicao-esta-colocando-os-ursos-polares-em-serio-risco/ http://diariodebiologia.com/2017/02/motivo-para-muita-preocupacao-a-poluicao-esta-colocando-os-ursos-polares-em-serio-risco/#respond Fri, 24 Feb 2017 13:11:54 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38533

A poluição que o ser humano provoca na Terra é a pior doença do nosso planeta. Tentar diminuir essa concentração de poluição é determinante para a nossa sobrevivência e por isso devemos tomar atitudes que ajudem a amenizar essa situação, por mais simples que seja cada atitude em conjunto se torna válido para tratar a “doença” da Terra.

Só para você ter uma ideia, a poluição no ártico está tão alta que os produtos químicos estão se acumulando nos ursos polares e as mães estão passando para seus filhotes através do leite, isso é muito grave. Um novo estudo publicado na revista Environmental Toxicology and Chemistry descobriu que os ursos polares estão com alto risco de contaminação pelos poluentes produzidos pelo ser humano.

A pesquisa focou numa classe de poluentes chamados de POP – Poluente Orgânico Persistente. São compostos altamente estáveis e que persistem no ambiente, resistindo à degradação química, fotolítica e biológica e ainda mais, tem a capacidade de acumular em organismos vivos, além da sua toxicidade, inclusive para o ser humano.

Os pesquisadores coletaram dados de um grande setor de regiões árticas e subárticas, onde consideraram cadeias alimentares, dietas de animais, concentração de POP’s e o ambiente circundante. Os cientistas realizaram uma estimativa e descobriram concentrações de 19 substâncias químicas no bacalhau ártico, focas e ursos polares. Contudo, verificaram que a concentração de POP foi muito superior para a segurança dos ursos polares, ou seja, 100 vezes a mais para os adultos e 1.000 vezes a mais para a segurança dos filhotes, já que os mesmos se alimentam com o leite materno por cerca de 20 meses e o POP se acumula nos tecidos e órgãos destes animais.

É claro que o mundo tem se empenhado em diminuir a emissão desse tipo de poluente e desde a década de 1980 houve uma redução do risco de POP para estes animais. No entanto, novos POP’s surgem no ambiente devido a sua mudança constante, ou seja, outros poluentes da mesma linha surgem e por isso é necessário um controle constante destas substâncias e medidas que ajudem a diminuir os riscos de contaminação destes animais e de todo o meio ambiente, uma vez que os POP’s causam danos à saúde do ser humano e principalmente geram doenças no planeta Terra, por isso é fundamental criar e programar um controle de novos e emergentes contaminantes evitando ao máximo a sua disseminação, assim evitará uma catástrofe num futuro próximo!

Fontes: iflscience
Artigos: Sara Villa et. al
Imagens: Reprodução/band.uol/ guaruevoce

 

]]>
http://diariodebiologia.com/2017/02/motivo-para-muita-preocupacao-a-poluicao-esta-colocando-os-ursos-polares-em-serio-risco/feed/ 0 38533
China, Coreia do Sul e Japão: Aqui estão as coisas mais bizarras que eles fazem http://diariodebiologia.com/2017/02/china-coreia-do-sul-e-japao-aqui-estao-as-coisas-mais-bizarras-que-eles-fazem/ http://diariodebiologia.com/2017/02/china-coreia-do-sul-e-japao-aqui-estao-as-coisas-mais-bizarras-que-eles-fazem/#respond Wed, 22 Feb 2017 19:29:22 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38520

China: Ovo cozido em urina de crianças é petisco popular

 

Bacias e baldes de urina de meninos são coletados dos sanitários das escolas primárias. Trata-se do ingrediente chave na fabricação dos “ovos de meninos virgens”, uma tradição local de molhar e cozinhar os ovos na urina dos meninos, de preferência com idade inferior a 10 anos. Não há nenhuma boa explicação para o fato de precisar ser a urina dos meninos, apenas tem sido assim há séculos.

O cheiro desses ovos que estão sendo cozidos em panelas de urina é inconfundível para pessoas que passam pelos muitos ambulantes que vendem a iguaria em Dongyang, alegando que tem propriedades notáveis para a saúde.

Coreia do Sul: Pessoas depressivas e suicidas são presas em caixões de madeira

Uma terapia aplicada em pessoas depressivas e suicidas na Correia do Sul é no mínimo bizarra. Os doentes são presos em caixões de madeira para que passem por uma falsa experiência da morte. Segundo os desenvolvedores, a situação de se sentir morto ajuda pessoas com depressão a apreciar a vida de uma forma muito melhor. Todo tipo de pessoas com tendências suicidas e depressão podem participar da terapia. O tratamento recebe adolescentes pressionados pela cobrança dos estudos, pais mais velhos que sofrem de isolamento e idosos que têm medo de se tornarem um encargo financeiro para suas famílias.

As sessões terapêuticas acontecem com todos ao mesmo tempo. Os participantes vestem roupas brancas e entram cada um em seus respectivos caixões que são dispostos em fileiras. Sentados dentro dos caixões, eles escutam as palavras incentivadoras de Jeong-mun Yong, um ex-trabalhador funerário que agora é o chefe do centro de cura. Depois, como parte do tratamento, as pessoas se deitam em seus caixões e fecham os olhos.

China: ratinhos recém-nascidos são comidos vivos

A tradução para este prato chinês é, literalmente, “três gritos” e mais adiante você vai perceber porquê. Para “saboreá-lo” é preciso ter ratinhos recém-nascidos, hashis, temperos e coragem. Primeiro é preparado um molho que leva sal, pimenta, molho de hoisin e ervas à gosto. Os bebês são levados ainda vivos à mesa, e são segurados com os hashis (primeiro grito), depois são embebidos no molho até que comecem a afogar (segundo grito) e então são levados diretamente para a boca (terceiro e último grito). A receita é simples e não é para qualquer um!

China: Em festival tradicional, pessoas matam, cozinham e comem cachorros

Todos os anos no mês de junho, cerca de 10 mil cães são comidos por pessoas em Yulin, uma região autônoma em Guangxi Zhuang, na China como parte de uma tradição local. Os animais são brutalmente caçados, mortos e cozidos em um caldeirão. Durante o festival, a carne é servida às pessoas que juntamente com um licor forte celebram a tradição. O festival do cachorro marca o solstício de verão, nesta cidade ao sul da China.

Além dos criadores ilegais que fizeram deste festival um negócio rentável, muitos dos cachorros comidos no festival são animais de rua ou de estimação que são roubados de suas famílias para serem vendidos por cerca de 9 yuan (apenas R$ 3,20, isso mesmo: três reais e vinte centavos).

China: animais vivos são vendidos como chaveiros

Desde 2011 os chaveirinhos de animais vivos tem sido a febre entre os chineses e vem se espalhando rapidamente por todo continente Asiático. Sapinhos, tartarugas de água doce brasileiras, peixinhos, lagartixas e até pequenas salamandras são colocados em recipientes plásticos lacrados a vácuo contendo água colorida e nutrientes que prometem manter os animais vivos por até 2 meses. Os animais mal podem respirar e até mordiscam o lacre, provavelmente na esperança de tentar remove-lo.

O chaveiro, que é vendido como um amuleto e promete sorte ao dono, custa em torno de U$ 2,00 (dois dólares), são facilmente encontrados em qualquer banca nas ruas e condenam estes pequenos animais a morrer em poucos dias.

China: atear fogo no corpo para curar problemas de pele, respiratórios e de ereção

As mulheres estão sempre buscando novos tratamentos de beleza na busca da juventude. Na China, a nova moda é a “Chama Facial” ou “Huö Liao”. Trata-se se um tratamento facial que utiliza o calor máximo antes de se tornar uma queimadura. A tradição diz que as chamas estimulam a regeneração celular da face, deixando-a mais rejuvenescida e saudável. Além disso, melhora as feições e reduz a flacidez e as rugas.

Uma mistura não revelada que os terapeutas chamam de “elixir especial“, parecida com um unguento feita  de cerca de 20 tipos diferentes de ervas de ervas chinesas, é passada no local, depois uma toalha embebida em álcool é colocada por cima. O próximo passo é literalmente atear fogo sobre a toalha, deixando-a queimar sobre a pele da pessoa. Os terapeutas especializados na técnica garantem que o tratamento perfeitamente seguro, quando realizado por um terapeuta treinado. Segundo eles, graças à aplicação do elixir, a pele é somente aquecida e nunca aconteceram queimaduras.

Fonte: diariodebiologia
Imagens: Reprodução/ diariodebiologia
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/02/china-coreia-do-sul-e-japao-aqui-estao-as-coisas-mais-bizarras-que-eles-fazem/feed/ 0 38520