Gravidez – Diário de Biologia http://diariodebiologia.com Agora ficou divertido aprender! Mon, 27 Mar 2017 20:15:28 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.3 5538239 Mesmo com a higiene em dia, sua calcinha vive úmida e com cheiro de xixi? Atenção: hora de procurar um médico! http://diariodebiologia.com/2017/03/mesmo-com-a-higiene-em-dia-sua-calcinha-vive-umida-e-com-cheiro-de-xixi-atencao-hora-de-procurar-um-medico/ http://diariodebiologia.com/2017/03/mesmo-com-a-higiene-em-dia-sua-calcinha-vive-umida-e-com-cheiro-de-xixi-atencao-hora-de-procurar-um-medico/#respond Wed, 15 Mar 2017 14:08:39 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38753

“Tenho 46 anos e estou com um problema. Tenho que usar absorvente íntimo diário durante o dia todo. Porque se eu não usar, no final do dia minha calcinha fica úmida e com cheiro de urina. Mas não sinto nada saindo e minha higiene está em dia!” (Si*** Po****)

Olá Si***, sempre recomendamos aqui que todas as alterações estranhas no nosso corpo devem ser discutidas com um médico impreterivelmente. Milhões de mulheres no Brasil e em todo o mundo sofrem de algum problema que causa a perda involuntária de urina e pode interferir nas suas atividades e na sua qualidade de vida.  Muitas dessas mulheres passam por este problema e, infelizmente, a maioria delas não se preocupam e se quer vão ao médico.

De acordo com o site do setor de Urologia do Hospital Sírio Libanês, a perda de urina na calcinha é um sinal de Incontinência Urinária e pode ocorrer com intensidade variável dependendo da mulher. Ao contrário do que as pessoas pensam, esse não é um problema de idosos e pode acometer indivíduos de todas as idades, de ambos os sexos e de todos os níveis sociais e econômicos. No entanto, entre as pessoas com idade superior a 60 anos, acredita-se que de 30 a 60% tenham incontinência e sim, as mulheres são mais predispostas do que homens. As causas podem variar bastante algumas delas são transitórias e facilmente tratáveis, como infecções urinárias e vaginais, efeitos colaterais de medicamentos e constipação intestinal, mas outras causas podem ser duradouras ou permanentes. Tudo precisa ser devidamente estudado por um urologista.

Até que o problema se resolva o uso do absorvente diário é aconselhável!

O que pode estar acontecendo?

De acordo com os especialistas do Hospital Vila da Serra, a forma mais frequente, que aparece em cerca de 50% das pacientes, é aquela que surge geralmente em torno dos 35 a 40 anos e é associada a algum esforço físico. Quando a paciente tosse, espirra ou carrega algum peso, ela nota que há saída de alguma quantidade de urina. É a chamada “incontinência urinária aos esforços”. O segundo principal tipo é a “bexiga hiperativa”. Ele é mais comum entre as mulheres acima de 60 anos, mas pode aparecer em qualquer idade. As pacientes precisam urinar inúmeras vezes durante o dia (mais de 7 vezes), levantam mais de duas vezes à noite para urinar e/ou frequentemente têm uma vontade tão grande que têm que sair correndo para o banheiro.

No entanto, segundo o urologista Giacomo Errico. Em mulheres acima dos 40 anos, alterações hormonais também podem levar ao problema, pois com o aumento da idade há a redução da vascularização do local, o que causa a incontinência. Nestes casos, um creme à base de estrogênio pode ser a solução, procure seu médico.

Fontes: delas / hospitalsiriolibanes / hospitalviladaserra /
Imagens: Reprodução/ saude.ig / izabellamattosduare
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/03/mesmo-com-a-higiene-em-dia-sua-calcinha-vive-umida-e-com-cheiro-de-xixi-atencao-hora-de-procurar-um-medico/feed/ 0 38753
Está com pelo menos 3 destes sintomas? Corre para o médico, você pode estar com endometriose! http://diariodebiologia.com/2017/02/esta-com-pelo-menos-3-destes-sintomas-corre-para-o-medico-voce-pode-estar-com-endometriose/ http://diariodebiologia.com/2017/02/esta-com-pelo-menos-3-destes-sintomas-corre-para-o-medico-voce-pode-estar-com-endometriose/#respond Tue, 28 Feb 2017 12:12:33 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38563

Todos os meses, o endométrio fica mais espesso para que um óvulo fecundado possa se implantar nele. Quando não há gravidez, esse endométrio que aumentou descama e é expelido na menstruação. Em alguns casos, um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a mãe ou irmã da paciente sofrem com a doença. É importante destacar que a doença acomete mulheres a partir da primeira menstruação e pode se estender até a última. Geralmente, o diagnóstico acontece quando a paciente está na faixa dos 30 anos.

Relacionamos aqui algumas situações você possa estar passando e que indicam que você possa estar sofrendo de endometriose e não sabe.

Não consegue engravidar

A dificuldade para engravidar é o que leva a maioria das mulheres a descobrir a presença da endometriose. A condição pode comprometer as trompas, órgão que leva o óvulo ao útero, impedindo a fecundação. Isso acontece por causa da obstrução ou comprometimento das tubas uterinas pela endometriose, obstrução das tubas uterinas por aderências causadas pela endometriose, e pela inflamação crônica na pelve, que pode atrapalhar a implantação do embrião no útero.

Dor durante a relação sexual

Sentir dor durante o ato sexual pode ser um indicador da presença de endometriose. Como a endometriose pode afetar vários órgãos da região pélvica, o contato com a região inflamada provoca a dor. Se existe dor na profundidade, é porque algo não está bem.

Dor para urinar no período menstrual

Assim como o intestino, a bexiga também está localizada na região pélvica. E pode sofrer as mesmas alterações que ele, o que pode gerar dor para urinar durante a menstruação, assim como sangramento na urina. Em casos mais graves, a endometriose também pode comprometer os ureteres, que são as estruturas que transportam a urina dos rins para a bexiga, comprometendo até funcionamento renal.

Cólica menstrual muito intensa

Em muitos casos, a cólica menstrual intensa é o primeiro sinal indicativo de endometriose. A doença é a presença de células que compõe a camada interna do útero fora do útero: nas trompas, nos ovários, na bexiga, no intestino. Quando a mulher menstrua, essa camada interna do útero descama, sangra e se exterioriza por via vaginal. Assim, nas mulheres com endometriose, durante o período de menstruação, existe um sangramento e uma inflamação também nestes outros órgãos, o que gera mais dor.

Magreza

Um estudo publicado em maio deste ano no periódico “Human Reprodution” mostrou que obesas mórbidas (IMC acima de 40) têm cerca de 40% menos chances de desenvolver endometriose se comparadas às mulheres com IMC baixo, mas dentro da normalidade (18,5 a 22,4). Os pesquisadores ainda não sabem exatamente o que motivou o resultado, mas desconfiam de que as obesas tenham maior incidência de ovários policísticos do que as magras — uma condição que pode inibir o surgimento da endometriose, já que as mulheres que têm esses ovários costumam apresentar dificuldades para ovular e às vezes passam meses sem menstruar.

Dor abdominal que nunca passa

Como já dito, a endometriose pode atingir vários órgãos da pelve, ao longo de muitos anos. Com o passar do tempo a mulher com endometriose pode passar a sentir dor contínua, independente da menstruação. Esse tipo de dor é chamada de dor pélvica crônica e traz um grande impacto na qualidade de vida dessas mulheres.

Fontes: gineco / veja.abril. / bonde
Imagens: Reprodução/ livestrong / aendometrioseeeu / ultrasoundcare
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/02/esta-com-pelo-menos-3-destes-sintomas-corre-para-o-medico-voce-pode-estar-com-endometriose/feed/ 0 38563
10 tipos de menstruação e o que podem dizer sobre sua saúde: coágulos, coloração, etc. http://diariodebiologia.com/2017/02/10-tipos-de-menstruacao-e-o-que-podem-dizer-sobre-sua-saude-coagulos-coloracao-etc/ http://diariodebiologia.com/2017/02/10-tipos-de-menstruacao-e-o-que-podem-dizer-sobre-sua-saude-coagulos-coloracao-etc/#respond Mon, 27 Feb 2017 11:02:47 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38545

Menstruação é a descamação das paredes internas do útero quando não há fecundação. Essa descamação faz parte do ciclo reprodutivo da mulher e acontece todo mês. O corpo feminino se prepara para a gravidez, e quando esta não ocorre, o endométrio (membrana interna do útero) se desprende. O fluxo menstrual é composto, então, por sangue e tecido interior uterino.

Alguns especialistas arriscam em dizer quer durante todo o período, os especialistas calculam que uma mulher libere entre 30 e 50 ml de sangue. A duração deve ser de três a oito dias, com um sangue sem muitos coágulos e com o uso de até seis absorventes por dia.

Mas o que muita mulher não sabe é que o aspecto do sangue menstrual pode dizer muito sobre a sua saúde. Relacionamos aqui dez situações em que uma mulher pode enfrentar durante o período menstrual e o que isso pode significar para saúde dela.

Menstruação com cor de “borra de café”

Normalmente, este aspecto não tem significado grave e na maioria dos casos também tem relação com o tempo em que o sangue passa dentro do canal vaginal. Mas, elas também podem caracterizar o “escape”, secreção de cor amarronzada que desce fora do período esperado para a menstruação. Entre as principais causas do episódio estão os anticoncepcionais de baixa dosagem, o uso da pílula do dia seguinte, as alterações hormonais de origem emocional, o surgimento da endometriose, lesões ou miomas no colo do útero ou ainda uma gravidez. Mas fique atenta, o escape borra de café para muitas mulheres é o primeiro sinal da gestação. Ele é proveniente da nidação, processo que fixa o óvulo fecundado no endométrio.

Menstruação com cheiro forte

O sangue em si não tem cheiro forte. No entanto, como ele passa por todo o canal vaginal, se mistura com bactérias e fungos naturais à flora da região e, dessa forma, começa a envelhecer.

Por isso, a menstruação tem um cheiro específico – que para as pessoas com o olfato mais sensível pode ser forte. Embora a menstruação possa ter um cheiro forte, ele não deve ser fétido e nem cheirar podre. Isso porque esses sinais podem ser sintomas de algumas infecções vaginais. Nesses casos é essencial procurar por um especialista. Vale lembrar também que quanto mais tempo exposto ao ambiente externo, mais o sangue envelhece. É por isso que o cheiro dos absorventes é mais forte do que o da menstruação em si.

Menstruação com muito sangue

O que determina o fluxo menstrual, é a quantidade de hormônio produzida enquanto o útero se prepara para receber o óvulo fecundado produzindo o endométrio. No começo e no fim da idade reprodutiva, é normal que a menstruação seja intensa devido aos ajustes hormonais que estão acontecendo. Na idade adulta, a tendência é que a quantidade seja normalizada. Mesmo não sendo comum, mulheres com alterações hematológicas perdem muito sangue (a menstruação dura mais de oito dias e o fluxo é muito intenso) e, por isso, podem sofrer com anemia. Nesses casos, ao notar qualquer alteração, é importante procurar um especialista.

Menstruação com pouco sangue

Além das alterações hormonais comum na puberdade e no início da menopausa que podem aumentar ou diminuir o fluxo, o uso de anticoncepcionais também contribui para que a menstruação diminua. A ingestão do hormônio sintético (pílulas anticoncepcionais, por exemplo) afina o endométrio e, por isso, a quantidade de sangramento reduz.

Menstruação que dura muitos dias

Instabilidades hormonais provenientes da adolescência ou da terceira idade e o uso de pílula do dia seguinte podem interferir no tempo de duração do ciclo menstrual. Mas, assim como em casos de fluxos muito intensos, a menstruação muito longa, com mais de oito dias de duração e que aparece repentinamente, merece atenção. Ela pode causar anemia, pode ainda ser sinal de variação hormonal e indicar miomas, pólipos ou endometriose. Procure um médico!

Menstruação que dura poucos dias

Já o fluxo que é mais curto, pode ter relação direta com o uso de anticoncepcionais. Isto porque, como já explicado, o hormônio sintético reduz a quantidade de endométrio produzido e, logo, expelido.

Menstruação muito clara (sangue vivo)

A menstruação com coloração bem intensa é absolutamente normal e sinal de que o sangue, desde que saiu do útero, pouco sofreu envelhecimento ou com a ação dos agentes coagulantes.

Menstruação com sangue muito escuro

Já quando a cor é mais escura, próximo ao tom do vinho, marrom escuro ou preto, geralmente, é indicativo de menor fluxo. Isto porque, sendo pouco, a tendência é que o líquido demore mais para passar por todo o canal e, assim, fique mais tempo exposto às ações decompositoras das bactérias e dos fungos naturais da região. Por isso, essa caraterística é natural no começo ou no fim do ciclo. No entanto, se a coloração persistir por todo o ciclo, o ideal é também procurar ajuda médica porque ela pode ser sintoma de algum outro problema, como a endometriose.

 

Fontes: vix / gineco
Imagens: Reprodução/ wikihow/ saudeevidaboa
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/02/10-tipos-de-menstruacao-e-o-que-podem-dizer-sobre-sua-saude-coagulos-coloracao-etc/feed/ 0 38545
Pesquisadores dizem que o sêmen controla a mente das mulheres http://diariodebiologia.com/2017/02/pesquisadores-dizem-que-o-semen-controla-a-mente-das-mulheres/ http://diariodebiologia.com/2017/02/pesquisadores-dizem-que-o-semen-controla-a-mente-das-mulheres/#respond Tue, 14 Feb 2017 12:16:56 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38458

Cientistas da Universidade de Saskatchewan, no Canadá surgiram com uma afirmação que vai mexer com muita mulher com a vida sexual ativa. Segundo eles, é possível que mulheres que entram em contato com o sêmen frequentemente, tenham a chance de que o fluido sexual masculino esteja “influenciando” seus cérebros.

Muita calma nessa hora, as mulheres de vida sexual ativa não estão com espermatozoides na cabeça. Mas, de acordo com essa pesquisa, uma proteína que está presente em diversas espécies de mamíferos, inclusive nos humanos, pode estimular o cérebro induzindo o sistema reprodutor a ativar a ovulação em fêmeas. Essa proteína, conhecida como Nerve Growth Factor (tradução: Fator de crescimento nervoso, sigla: NGF), tem fundamental importância no crescimento, manutenção e sobrevivência de determinados neurônios, funcionando também como molécula de sinalização entre as células nervosas.

A novidade é que, segundo o estudo, no sêmen dos mamíferos, a NGF funciona como um sinalizador hormonal que envia informações ao hipotálamo, que, por sua vez, libera os hormônios responsáveis pela ovulação. Em outras palavras, sob ação desta proteína e em presença de esperma, o hipotálamo “ordena” via sinalização química que o ovário libere óvulo maduro, disponível para a fecundação.

Biologicamente falando, esse mecanismo faz muito sentido e parece ser uma estratégia evolutiva para garantir a fecundação. Afinal, uma vez que a mulher sinalize constantemente a presença de espermatozoides no organismo, a NGF sinaliza ao hipotálamo: “Dê suas ordens ao sistema reprodutivo, tem espermatozoides disponíveis no organismo!

Agora os pesquisadores responsáveis por este estudo pretendem analisar as propriedades do NGF e verificar se, futuramente, esta proteína poderá ser utilizada em tratamentos de fertilidade.

Fonte: revistagalileu / boasaude / Fator_de_crescimento_nervoso
Imagens: Reprodução/danibado / 20minutos/ maeaflordapele
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/02/pesquisadores-dizem-que-o-semen-controla-a-mente-das-mulheres/feed/ 0 38458
Especialistas garantem: As cesarianas estão afetando a evolução do corpo humano http://diariodebiologia.com/2017/01/especialistas-garantem-as-cesarianas-estao-afetando-a-evolucao-do-corpo-humano/ http://diariodebiologia.com/2017/01/especialistas-garantem-as-cesarianas-estao-afetando-a-evolucao-do-corpo-humano/#respond Thu, 26 Jan 2017 18:03:18 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38299

Pesquisadores austríacos constataram que, a partir de 1950, os bebês estão nascendo maiores, pela prática cada vez maior de cesarianas. A força de seleção que agia sobre os bebês menores perdeu força devido ao fato da realização de cesarianas, disse um pesquisador do departamento de biologia teórica na Universidade de Viena. Segundo ele, a intenção da pesquisa não foi criticar a intervenção médica e sim dizer que ela teve um efeito evolutivo.

Atualmente, cada vez mais mães têm optado por cesarianas como via de parto. Esses casos aumentaram de uma média de 30 em cada 1000 em 1960 para 36 em 1000 atualmente.

Evolutivamente, com a as mortes materno-infantis geradas pelo trabalho de parto, os genes não passavam das mães para os filhos. Dessa forma, a cesariana contribuiu para a falta de proporção entre o tamanho do feto e o canal pélvico. No entanto, é intrigante perceber que o canal pélvico não evoluiu para ser maior e reduzir as taxas de obstrução durante o trabalho de parto.

Esse ainda é um estudo que merece ser desmembrado e discutido entre a comunidade médica. Daghni Rajasingam, obstetra e porta-voz do Royal College of Obstetricians, lembrou que existem outros fatores, como diabetes e obesidade, que podem exercer influência sobre o número de cesarianas.

Esse estudo indica que “a incidência de trabalho de parto obstruído em seres humanos é surpreendentemente alta, cerca de 3% a 6% em todo o mundo”. Em grande parte dos casos, essa falta de proporção está ligada ao tamanho da cabeça do bebê e as dimensões pélvicas da mãe.

Fonte: dn.pt /
Imagens: Reprodução/ maemequer / guiasaudedamulher
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/01/especialistas-garantem-as-cesarianas-estao-afetando-a-evolucao-do-corpo-humano/feed/ 0 38299
Artigo científico indica que os bebês gerados com o vírus da zika podem desenvolver microcefalia após o nascimento http://diariodebiologia.com/2017/01/artigo-cientifico-indica-que-os-bebes-gerados-com-o-virus-da-zika-podem-desenvolver-microcefalia-apos-o-nascimento/ http://diariodebiologia.com/2017/01/artigo-cientifico-indica-que-os-bebes-gerados-com-o-virus-da-zika-podem-desenvolver-microcefalia-apos-o-nascimento/#respond Sun, 15 Jan 2017 19:09:46 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38230

Um novo trabalho mostrou que a microcefalia pode se desenvolver meses após o nascimento de crianças que foram consideradas com medidas normais do perímetro encefálico. Essas crianças foram expostas ao vírus da Zika durante a gestação.

Os Centros de Controle e Prevenção das Doenças dos Estados Unidos (CDC) divulgaram um estudo relacionando 13 casos nos estados de Pernambuco e Ceará. Desses 13 casos, 11 desenvolveram microcefalia mais tarde, com sérias complicações neurológicas. Segundo os cientistas, foi observado um retardamento no crescimento da cabeça dos bebês a partir do 5º mês de idade.

Desses 13 bebês, 7 sofreram epilepsia e todos apresentaram problemas similares ao que acontece em casos de paralisia cerebral, que comprometeram a motricidade. Entretanto, os bebês eram muito pequenos para que as deficiências cognitivas fossem avaliadas.

Novo trabalho é o primeiro a identificar sintomas meses após o nascimento em crianças que inicialmente tinham medidas da cabeça consideradas normais.

Esse trabalho é o primeiro a demonstrar que o vírus zika pode causar problemas após o nascimento, com o desenvolvimento de sintomas tardiamente. Entretanto, é preciso salientar que nem todos os bebês nascidos após a exposição ao zika podem desenvolver esse problema.

Imagens de ressônancia do cérebro de duas crianças avaliadas no estudo dos CDC
Fonte: G1
Imagens: Reprodução/tapurahonline / mariocelso
]]>
http://diariodebiologia.com/2017/01/artigo-cientifico-indica-que-os-bebes-gerados-com-o-virus-da-zika-podem-desenvolver-microcefalia-apos-o-nascimento/feed/ 0 38230
Seis motivos para você passar a comer mais chocolate http://diariodebiologia.com/2016/12/seis-motivos-para-voce-passar-a-comer-mais-chocolate/ http://diariodebiologia.com/2016/12/seis-motivos-para-voce-passar-a-comer-mais-chocolate/#respond Fri, 09 Dec 2016 07:21:02 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=38094

Um dos benefícios do chocolate é fornecer energia ao organismo porque ele é rico em calorias, mas existem diferentes tipos de chocolate que têm composições muito diferentes e, por isso, os seus benefícios para a saúde também são muito distintos.

Quanto mais cacau o chocolate tiver, mais benefícios há para a saúde, por isso os benefícios do chocolate meio amargo e negro são maiores para a saúde porque eles ajudam a diminuir as doenças cardiovasculares e o câncer porque são ricos em antioxidantes.

  1. A versão amarga faz bem ao coração

O cacau pode baixar a pressão arterial e o colesterol, ajudando na prevenção da diabetes e auxiliando no sistema vascular, nos vasos sanguíneos. Mas tudo com moderação!

  1. Felicidade e desempenho

Auxílio na TPM, nos momentos tristes… não é só coisa da sua cabeça: o chocolate realmente te deixa mais feliz! Ele diminui a fadiga mental e melhora o seu desempenho. Para aquele dia estressante e cheio de tarefas, deixe um chocolatinho por perto.

beneficios-chocolate-saude-13555

  1. Bom na gestação

Comer chocolate durante a gestação reduz o estresse. Já para as crianças, é recomendado o consumo após o primeiro ano de vida, e com moderação.

  1. Bom para pele

O consumo de chocolate pode ajudar na redução do efeito dos raios UV na pele. Pessoas que consomem chocolate pela manhã são menos afetadas pela energia eletromagnética emitida pelo Sol.

  1. Prolonga a vida

Segundo pesquisadores de Harvard, pessoas que comem chocolate por pelo menos três vezes ao mês têm aumento na expectativa de vida em até 1 ano em relação às que não consomem.

  1. Aumenta o apetite

O chocolate tem substâncias canabinoides que atuam no hipotálamo, a parte do cérebro que controla a fome. Assim, o doce pode aumentar o apetite.

Fonte: megacurioso / tuasaude
Imagens: Reprodução/ boaformaesaude / 9dades
]]>
http://diariodebiologia.com/2016/12/seis-motivos-para-voce-passar-a-comer-mais-chocolate/feed/ 0 38094
Especialista suíço cria chocolate que acaba com as cólicas menstruais http://diariodebiologia.com/2016/11/especialista-suico-cria-chocolate-que-acaba-com-as-colicas-menstruais/ http://diariodebiologia.com/2016/11/especialista-suico-cria-chocolate-que-acaba-com-as-colicas-menstruais/#respond Sun, 20 Nov 2016 08:28:39 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=37934

Menstruação + chocolate. Parece uma combinação perfeita, e agora realmente é. Isso porque, o Suíço Marc Widmer, especialista em desenvolver diferentes tipos de chocolates, criou um chocolate à base de ervas que promete acabar de vez com as cólicas menstruais.

“Frauenmond” é o nome desta nova criação que quer aliar o prazer de comer chocolate ao poder aliviador das cólicas menstruais. A ideia nasceu há três anos, quando o também dono da “Chocolate with Love” passeava pelas montanhas. Ao aperceber-se dos benefícios das ervas, Marc pensou que juntá-las ao chocolate poderia dar um produto cheio de benefícios e com um bom sabor.

Ao chocolate (com teor de 60% de cacau) Marc adicionou 17 ervas medicinais originárias dos Alpes Suíços. Ao que parece, a combinação de chocolate e ervas provoca um aumento dos níveis de serotonina, diminui o desconforto do período menstrual e tem ainda o poder de relaxar e acalmar. A médica Elisabeth Morray em resposta ao Daily Mail, disse que comer uma pequena quantidade de chocolate de qualidade (normalmente com 65% ou mais de cacau) pode ajudar a aliviar os sintomas da TPM. Isso porque, o chocolate contém magnésio, o que ajuda a aliviar as cólicas e a aumentar os níveis de energia. Além disso, contém endorfinas, conhecidas como “hormônio da felicidade”, que podem ajudar a levantar o nosso estado de espírito.

Se a moda pegar, em breve a mulheres terão chocolates especiais para comer à vontade durante a menstruação. Isso não é fantástico?

ed86c434719d704794f164a0ef43bf7d

Fontes: aeiou / bomdia / dailymail
Imagens: Reprodução/aeiou / mundodastribos
]]>
http://diariodebiologia.com/2016/11/especialista-suico-cria-chocolate-que-acaba-com-as-colicas-menstruais/feed/ 0 37934
Nasce bebê gerado a partir de 3 DNAs diferentes: duas mães e um pai biológicos! Entenda o caso. http://diariodebiologia.com/2016/11/nasce-bebe-gerado-a-partir-de-3-dnas-diferentes-duas-maes-e-um-pai-biologicos-entenda-o-caso/ http://diariodebiologia.com/2016/11/nasce-bebe-gerado-a-partir-de-3-dnas-diferentes-duas-maes-e-um-pai-biologicos-entenda-o-caso/#respond Fri, 11 Nov 2016 09:28:36 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=37882

Cientistas anunciaram recentemente o nascimento de um bebê com três pais biológicos. A técnica de fertilização in vitro foi realizada para combinar o DNA de três pessoas, não duas, como é feito tradicionalmente.

A criança já está com cinco meses de idade e tem como pais duas mulheres e um homem, com seus DNAs combinados. Essa nova técnica poderá ser utilizada para permitir que pais com mutações genéticas possam ter filhos saudáveis.

Foi o que aconteceu nesse caso, já que a mãe do bebê apresenta a síndrome de Leigh, uma enfermidade neurológica e hereditária. Naturais da Jordânia, os pais receberam atendimento nos EUA. Dois filhos anteriores dessa mãe já haviam morrido por conta dessa doença. Depois que Abrahim Hassan (como foi ch11amado o bebê) nasceu, ele foi testado para a doença. Menos de 1% de suas células carregavam os traços da síndrome. A doença apresenta riscos quando 18% das células mostram problemas.

Essa técnica combina o espermatozoide do pai, o óvulo da mãe e mitocôndrias de uma “mãe” doadora. Por causa disso, o bebê é gerado com DNA de três pessoas diferentes. As mitocôndrias são responsáveis por carregar alguns problemas genéticos, como a síndrome de Leigh. Por isso esse recurso ajudará cientistas a conceber crianças saudáveis de pais que tenham problemas genéticos. Essa é uma técnica revolucionária no campo da fertilização e manipulação genética.

aiiiii-issodoi
Essa técnica combina o espermatozoide do pai, o óvulo da mãe e mitocôndrias de uma “mãe” doadora. Por causa disso, o bebê é gerado com DNA de três pessoas diferentes.
Fonte: super.abril
Imagens: endireitandofacil / meiobit
]]>
http://diariodebiologia.com/2016/11/nasce-bebe-gerado-a-partir-de-3-dnas-diferentes-duas-maes-e-um-pai-biologicos-entenda-o-caso/feed/ 0 37882
Soprar a moleira quando o bebê engasga: MITO OU VERDADE?! http://diariodebiologia.com/2016/11/soprar-a-moleira-quando-o-bebe-engasga-mito-ou-verdade/ http://diariodebiologia.com/2016/11/soprar-a-moleira-quando-o-bebe-engasga-mito-ou-verdade/#respond Mon, 07 Nov 2016 12:02:18 +0000 http://diariodebiologia.com/?p=37860

“É verdade que soprar a moleira do bebê pode livrar ele de um engasgo? (Cristiane)

Olá Cristiane! A nossa crendice popular tem muitas histórias e “verdades” que são passadas de geração em geração para nossos descendentes, porém algumas são facilmente compreendidas como apenas superstição e não apresentam nenhum valor científico, embora algumas manobras ou conhecimento popular sejam de grande relevância para a ciência na descoberta real dos fatos. Por isso, ato de soprar a moleira do bebê é apenas um mito e não tem nenhum valor científico, é apenas uma crendice popular.

Na verdade o que a gente chama de moleira é chamada pela ciência de Fontanela que são espaços entre os ossos do crânio do bebê. Falo no plural porque os bebês não apresentam apenas uma fontanela e sim várias, isso mesmo, são vários espaços no crânio do bebê. A primeira fontanela e mais conhecida fica na parte de cima da cabeça chamada de Fontanela Anterior e mede cerca de dois a quatro centímetros, a outra fica na parte posterior da cabeça, um pouco acima da nunca, chamada de Fontanela Posterior, outros dois espaços ficam nas laterais chamados de Fontanela Mastoidea e Fontanela Esfenoidal.

Esses espaços são fundamentais para o bebê durante o seu nascimento, pois permitem que sejam ajustados no momento do parto e facilitem a passagem do bebê pelo canal do parto. É natural que neste momento os bebês apresentem certa deformidade na cabeça devido esses ajustes, porém essa deformidade é corrigida nos próximos dias e semanas. Também é natural que os pais apresentem muito cuidado com essa parte da cabeça do bebê e isso é verdade, pois como esses locais ainda não apresentam parte óssea ficam mais expostos. Todavia, não estão desprotegidos, pois essa região é coberta por uma camada de tecido grossa e flexível que ajuda a proteger nestes primeiros meses de vida.

dv_banhonenem_600x335

As fontanelas começam a se fechar entre dois a três meses de vida do bebê e as maiores se fecham entre o quinto ou sexto mês podendo se fechar completamente antes de um ano de idade, mas isso pode variar para cada criança. Lembrando que existem cuidados que devem ser levados em consideração, como: não apertar essa região e passar a mão com cuidado no momento do banho. Sinais de fechamento precoce da fontanela podem indicar a microcefalia e sua demora pode indicar pobreza de nutrientes como cálcio e vitamina D, por isso é importante e fundamental acompanhamento do médico pediatra para verificar e analisar possíveis anormalidades na cabeça do bebê.

Portanto, soprar a fontanela (moleira) do bebê é apenas um mito e não tem nenhuma descoberta científica onde demonstre que apenas soprar essa região ajude ou facilite o desengasgo da criança, na verdade existem manobras específicas para este tipo de situação que são detalhadas pelo pediatra onde ajudam a desobstruir as vias respiratórias, todavia qualquer situação de engasgo que deixe o bebê arroxeado é necessária intervenção médica o quanto antes.

Fontes: revistacrescer / minhavida / seupediatra
Artigos: Antropometria craniana de recém  / Diagnosis of infant synostotic
Imagens: Reprodução/ trocandofraldas / drauziovarella
]]>
http://diariodebiologia.com/2016/11/soprar-a-moleira-quando-o-bebe-engasga-mito-ou-verdade/feed/ 0 37860