Gravidez

Anticoncepcional e gravidez: O que acontece se tiver grávida e tomar anticoncepcional

Anticoncepcional e gravidez: Faz mal grávida tomar anticoncepcional

Uma dúvida estranha: se a mulher está grávida porque vai tomar anticoncepcional? Mas isso pode acontecer e é até comum. Na verdade, acontece sem a mulher saber que vai ser mãe. Eventualmente, quando há uma falha do anticoncepcional ou na injeção, a mulher pode ovular. Isso acontece devido a descontinuação dos níveis hormonais adequados pode permitir o início do processo ovulatório. Daí uma gravidez pode acontecer. Mas se a ovulação ocorrer, e uma gravidez se concretizar o que acontece se a grávida tomar anticoncepcional? Faz mal para o bebê?

A ginecologista Sheila Sedicias explicou no site Tua Saúde, que quando este “acidente” acontece, o uso do anticoncepcional só nas primeiras semanas não apresenta riscos ao bebê. No entanto, a médica alerta continuar tomando anticoncepcional durante a gravidez pode ser prejudicial. Isso porque, esses medicamentos são compostos por estrogênio e progesterona que podem afetar a formação dos órgãos sexuais do bebê. Além disso, sua ação pode causar problemas no trato urinário.

Há um estudo científico publicado na PNAS, que alertou que o tomar hormônios em excesso durante a gravidez, pode afetar o crescimento do feto, sobretudo nos três primeiros meses. Como já dito, também podem afetar a formação do adequada dos órgãos reprodutores, principalmente em meninos. Acontece que os hormônios femininos acabam alterando as características em fetos do sexo masculino.




Leia também: Acordar com enjoo: Enjoos matinais nem sempre é sinal de gravιdez, veja o que pode ser

É preciso ficar claro aqui que mesmo ingerindo hormônios femininos durante toda a gestação, não modificará o sexo do bebê. Isso porque, há algumas mulheres que acreditam que para ter um bebê do sexo feminino basta tomar doses de progesterona – o hormônio feminino. Isso, não adianta nada e pior: prejudica a formação do bebê, principalmente se for um menino. O sexo do bebê não depende de hormônios e sim dos cromossomos. Portanto, essa característica é determinada durante a fecundação. Contudo, a formação perfeita dos órgãos primários e secundários relativos ao sexo dependem dos hormônios. Por isso, não se deve continuar usando anticoncepcional depois que souber que vai ser mãe.

Assim, de acordo com a Dra. Sheila, a menor suspeita de gravidez já é motivo para que a mulher suspenda imediatamente o uso da pílula. Além disso, ela sugere que se faça o teste de gravidez – aquele de farmácia mesmo – o quanto antes. Se a gravidez for confirmada, o ginecologista obstetra responsável pelo pré-natal deve ser avisado dessa dosagem hormonal nas primeiras semanas.



Cuidado com a Minipílula

Poucas mulheres usam a minipílula, composta apenas de estrogênio, mas ela pode sim prejudicar a gestação. Dra. Sheila explicou que a minipílula aumenta as chances de gravidez ectópica, quando o bebê se forma nas tubas uterinas. Isso é grave e requer tratamento imediato, já que é incompatível com a vida do bebê e coloca em risco a vida da mãe.

TS / TF  Artigo: Barry Timms et al


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo