Sua saúde

Cerveja e Diabetes: Quem tem Diabetes pode tomar cerveja? Médico responde

Cerveja e Diabetes: Quem tem Diabetes pode tomar cerveja?

Quem tem diabetes pode tomar cerveja? Bem, sabemos que a cerveja sem dúvida é a bebida mais adorada pelos brasileiros, e, por isso, a mais consumida. Em uma roda de amigos, é possível que a cerveja seja tão amada quanto o futebol. Ao mesmo tempo, as mulheres também são amantes de uma cervejinha. De acordo com pesquisa realizada em 2016, 8,6% dos brasileiros são diabéticos diagnosticados, fora os que nem sabem da doença. O endocrinologista, Dr. Mateus Dornelles, revelou que uma das perguntas mais frequentes quando alguém recebe o diagnóstico de diabetes mellitus é: “Posso beber um vinho ou uma cervejinha vez ou outra? Quanto posso beber?”

O Paradoxo Clínico do Álcool




Os médicos enfrentam, de acordo com o Dr. Mateus, o que eles chamam de Paradoxo Clínico do Álcool. Ele explica que consumo de álcool pode causar doenças e aumentar o risco de morte. Isso é fato. Por outro lado, o álcool também pode ajudar a prevenir problemas de saúde e aumentar a longevidade.

Em relação a quem não tem diabetes, um estudo publicado na revista médica Diabetes Care mostrou que o consumo diário do equivalente a duas taças de vinho ou duas garrafas de cereja, poderia reduzir 30% no risco de diabetes. Ao que parece, o álcool moderado melhora a sensibilidade a insulina. Ou seja, ele facilita o funcionamento deste hormônio que ajuda nossas células a usar o “açúcar do sangue”. E mais, outros dois estudos publicados na Diabetes Care em 2007 e na JAMA, revelaram que o consumo moderado de álcool por pessoas com diabetes, é baixar a glicemia em jejum. Algumas gramas de álcool ainda reduz o risco de morte por doenças do coração em cerca de 80%.

Leia também: Quem come muito rápido tem 5 vezes mais chances de ter infarto e diαbetes

Mas, pode ou não pode tomar cerveja?



Dr. Mateus  diz que cada caso precisa ser interpretado com cautela. Assim, o médico precisa estar ciente das condições do paciente para libera-lo de tomar uma ou duas latinhas de cerveja. “ À luz do conhecimento científico atual, o paciente diabético pode sim beber uma cervejinha sem maiores preocupações, desde que na dose apropriada e após avaliação do seu endocrinologista”, escreveu em sua coluna no site da Sociedade Brasileira de Diabetes.

Mesmo assim, segundo o endocrinologista, o consumo de álcool não é bom para todos os pacientes diabéticos. Quem tem diabetes e apresenta, ao mesmo tempo, neuropatia diabética ou hipoglicemias frequentes, pode apresentar piora desses sintomas. Ele completa, dizendo que as mulheres diabéticas com histórico familiar de câncer de mama e do colo do útero, devem evitar sim, o álcool.

Sobre a nossa cervejinha do final de semana, precisamos estar atentos para uma questão. Cervejas têm tendência a elevar o nível de açúcar no sangue por serem ricas em carboidrato. Em geral, uma cerveja contém de 10 a 15g de carboidrato por meio litro. Assim, moderação e cautela nunca fará mal a você!

Leia também: Estudo identifica maior risco de câncer de estômago em usuários de Omeprazol



Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 

SBD  Artigo: Lando Koppes et al

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo