Sua saúde

Espinha na cabeça e nas costas: O que fazer? Pode espremer? Quais são as causas?

Espinha na cabeça e espinha nas costas: Quais as causas? O que fazer?

Só de falar em espinhas ficamos nervosos com a aquela sensação de dor, desconforto e tristeza, pois deixa a pele com um aspecto não muito agradável e isso leva a uma baixa-estima. Além das espinhas no rosto, que são as mais incômodas, algumas pessoas têm espinha na cabeça e espinha nas costas. Mas o que fazer nestes casos?  Quais são as principais causas?

De acordo com a dermatologista Tatiane Curi, especializada em Cosmiatria, as espinhas são comuns no corpo e aparecem com frequência em adolescentes, devido ao estímulo hormonal. Segundo ela, a acne (espinha) é uma doença crônica, inflamatória que compromete áreas do corpo com maior quantidade de folículos pilossebáceos.

Porém, algumas pessoas costumam confundir a espinha (acne) com a foliculite, pois são muito parecidas, mas com tratamentos bem diferentes. A dermatologista e consultora do programa Bem-estar, Márcia Purcelli, juntamente com a dermatologista Denise Steiner nos explica as principais diferenças, onde a foliculite é uma inflamação causada pela entrada da bactéria estafilococos no folículo pilossebáceo. A depilação, picada de inseto podem facilitar a entrada desta bactéria.




A foliculite não tem relação direta com a oleosidade da pele, enquanto que as espinhas têm afinidade íntima com isso, além de que as espinhas são causadas principalmente pelos hormônios e bactérias, e a foliculite com a alta quantidade de estafilococos. A localização é muito importante para o tratamento correto, a foliculite aparece nas costas, coxas, cabeça e principalmente nas nádegas, já as espinhas se localizam no rosto, tronco e colo.

Espinha na cabeça

As espinhas no couro cabeludo geralmente acontecem por um entupimento de algum folículo capilar: o “buraquinho” por onde sai o fio do cabelo. Células mortas e sebo acabam ficando presas no pequeno orifício. As bactérias ali presentes se alimentam destas substâncias e colonizam a área, sendo responsáveis por gerar a inflamação. Normalmente, as pessoas que tem cabelos oleosos são as mais propícias a desenvolverem espinhas no couro cabeludo. Isso porque, a produção excessiva de óleo contribui para o entupimento dos folículos.



Espinha nas costas

A espinha nas costas é, normalmente, um problema comum nos jovens e adolescentes. Nesta fase há alterações hormonais que podem levar ao aumento e acúmulo da oleosidade da pele. Em outros casos, o surgimento das espinhas também é estimulado pelo uso de produtos que aumentam a obstrução dos poros, como cremes e cosméticos oleosos, por exemplo.



Pode espremer?

A Dra. Aleksana Viana, dermatologista e colunista do site Tua Saúde, nos diz que é melhor evitar espremer o local, pois além de não conseguir remover o pus, espremer a espinha pode provocar o surgimento de manchas escuras na pele que podem levar mais tempo para desaparecer. Ela também nos dá várias dicas que podemos fazer em casa para cuidar destas espinhas (que ainda não estão inflamadas), como aplicar gelo na região e chá preto durante 30 minutos. Já se estiverem inflamadas, pode usar chá de bardana sobre a região afetada durante cerca de 20 minutos, 2 vezes ao dia.

A melhor solução é prevenir, pois demanda de menos esforços e evita dores futuras. Por isso, evitar maquiagem em excesso, produtos químicos na cabeça, realizar uma boa higienização e evitar a oleosidade da pele, do cabelo e do couro cabeludo. Caso os sintomas da espinha ou foliculite durem muito tempo, é necessário procurar um especialista para realizar o diagnóstico e tratamento correto.

TS / DS / SBD

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo