Homem

Artigo científico mostra relação entre formato e curvatura do genital masculino e câncer

Estudo diz que há relação entre a curvatura do genital masculino e câncer

Artigo científico mostra relação entre formato e curvatura do genital masculino e câncer
5 (100%) 3 votes

Uma pesquisa liderada pela Baylor College of Medicine, Universidade no Texas, Estados Unidos, analisou 1 milhão e meio de dados de pacientes homens. Eles encontraram uma ligação entre a forma do genital masculino e o risco de câncer. Eles descobriram que os homens que apresentam o genital curvado demais têm uma chance significativamente maior de desenvolver vários tipos de câncer.

Esse estudo foi apresentado na Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva e mostrou que os homens com fibrose peniana, a chamada doença de Peyronie (tecido cicatricial dentro do genital e causa uma curvatura quando ereto), tinham um risco de 40% maior de desenvolver câncer testicular e câncer de estômago, assim como um aumento de 29% de chance de desenvolver câncer de pele.

No Brasil há cerca de 150 mil novos casos por ano da doença de Peyronie. Enquanto afeta 0,5 a 13% dos homens nos Estados Unidos. Isso é um dado bastante alto e que deve ser observado. Assim, ir regularmente ao médico é necessário para uma boa avaliação. Os médicos dizem que muitos casos chegam a serem notificados devido à vergonha em falar sobre o genital.




Leia também: 5 sinais de câncer de próstata que os homens ignoram

Os homens que apresentam essa condição, forma curvada, dores na ereção e dificuldade na relação devem procurar o médico.  Os especialistas dizem que o genital curvado nem sempre é um problema, porém deve ser analisado com cuidado.

Leia também: Circunferência abdominal pode revelar as chances de desenvolver câncer de próstata, diz estudo

Além disso, o estudo fez uma análise genética e descobriu que pai e filho (pacientes), ambos com a fibrose, apresentavam genes com risco de câncer de melanoma, testicular e de próstata. Portanto, é necessário o monitoramento afim de verificar anormalidades na forma do genital, sempre com um acompanhamento médico.



iflscience  /niddk   Artigos: Mark Stuntz et al  / mdlinx

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.