Estudos e pesquisas

Boas notícias: novas descobertas avançam para desenvolver um tratamento eficaz contra o vírus do Ebola

Novas descobertas podem ter encontrado uma cura para o vírus Ebola

Boas notícias: novas descobertas avançam para desenvolver um tratamento eficaz contra o vírus do Ebola
5 (100%) 2 votes

O Ebola está entre as doenças causadas por vírus mais devastadoras que a humanidade já teve contato. O tratamento e cura da doença ainda é um mistério. É uma doença que tem como principal sintoma uma grave febre hemorrágica que pode matar em poucos dias após a contaminação. Considerada uma doença incurável , é uma das pandemias que mais tem causado preocupação em agentes de saúde em todo o mundo. O último surto dessa doença começou em 2014 e somente começou a ser controlado em 2016. Ela foi responsável pela morte de quase 13 mil pessoas só na África Ocidental.

A dificuldade de controlar esse vírus em testes com animais aliada à sua grande capacidade de dispersão e infecção, torna a pesquisa muito difícil e perigosa. Os testes em humanos é completamente impossível até o momento. Por isso, cientistas americanos, japoneses e de Serra Leoa uniram esforços e durante o último surto da doença conseguiram coletar 29 amostras de sangue humano contaminado.


O trabalho consistiu em fazer análises e comparações do sangue contaminado com sangue de pessoas saudáveis e assim tentar descobrir particularidades sobre o vírus do Ebola.

Segundo um estudo divulgado pela Pacific Northwest National Laboratory (PNNL), os cientistas identificaram um conjunto de 11 biomarcadores. Esses marcadores indicam quais pacientes infectados com o vírus Ebola correm maior risco de morrer da doença.




Essas descobertas podem permitir o desenvolvimento de tratamentos para os pacientes infectados. É o que garante  Yoshihiro Kawaoka, professor de virologia na UW-Madison School of Veterinary Medicine. “Essa análise  é provavelmente  a pesquisa  mais completa já feita com amostras de sangue humano contaminado”, disse a bióloga Katrina Waters que trabalha no PNNL.

Esse estudo que foi publicado na Cell Host & Microbe, detalha os 11 biomarcadores que são diferentes em infecções fatais. Nesses casos haviam maior quantidade vírus no sangue por causa de transformações em certos tipos de lipídeos do plasma. Tais gorduras estão envolvidas tanto em processos de ativação de alguns leucócitos quanto na coagulação do sangue.

Como resultado dessa descoberta, os agentes de saúde poderão priorizar o atendimento médico baseado na presença desses biomarcadores, em especial uma proteína que se liga a vitamina D e um aminoácido chamado L-Treonina. Esses marcadores quando analisados a tempo podem dar ao paciente uma maior chance de vida.

Essa descoberta será uma importante ferramenta para os médicos decidirem quais pacientes devem receber tratamento prioritário. Mas as perspectivas vão além. Com o aprofundamento desse estudo os pesquisadores afirmam que existe uma possibilidade para criar vacinas e medicamentos contra o Ebola.

pnnl / Planeta Biologia  artigo: Amie J. Eisfeld et al

Novidades

Topo