Gravidez

Mãe A negativo (-) e pai B positivo (+): qual o sangue do filho? Há algum problema?

Mãe A negativo (-) e pai B positivo (+): qual o sangue do filho? Há algum problema?
3 (60%) 2 votes

Precisamos deixar claro que não existe incompatibilidade entre grupos sanguíneos nos seres humanos. Isso quer dizer, que qualquer tipo (A, B, AB, O) podem ter filhos com qualquer tipo (novamente A, B, AB, O). O que pode ser preocupante é o fator Rh. Neste caso, se a mulher com Rh negativo (sangue A-, B-, AB- ou O-) que está grávida de um homem que tenha o sangue com Rh positivo (A+, B+, AB+ ou O+), tem a possibilidade de gerar um filho com Rh positivo. Então, depois da primeira gestação pode ocorrer a Eritroblastose fetal.

Outra variação, nestes casos é a possibilidade de um dos pais serem um caso de fenótipo de Bombaim, uma exceção para o grupo sanguíneo ABO, podendo ocorrer em 1 a cada 250.000 pessoas, por isso ser bastante rara. Para entender sobre esse fenômeno raro sugerimos essa leitura: Fenótipo de Bombaim: pessoas que nunca vão saber seus tipos sanguíneos.


Mãe (A-) e pai (B+)

Quando o pai expressa o tipo sanguíneo B e a mãe o tipo A, o bebê poderá expressar os tipos   A ( 19% de chance), B ( 19% de chance), AB ( 56% de chance) e O  ( 6% de chance). Ou seja, o bebê, sendo menina ou menino, poderá ter todos os tipos sanguíneos, inclusive AB e O que não são os tipos dos seus pais.

Quanto ao fator Rh, o filho terá 25% de chances de ter sangue com fator Rh negativo (-) e 75% de chances de ser Rh positivo (+).

Então ficou assim:

incompatibilidade sanguinea

Quando o pai expressa o tipo sanguíneo B e a mãe o tipo A, o bebê poderá expressar os tipos   A ( ≅19% de chance), B ( ≅19% de chance), AB ( ≅56% de chance) e O  ( ≅6% de chance).

O problema da mãe com Rh- e pai Rh+

Em primeiro lugar, as mulheres com Rh negativo não precisam ficar preocupadas. Todos os dias milhares de mulheres com Rh negativo dão à luz sem qualquer problema. Quando a mãe tem o fator Rh negativo (-) e o pai o fator Rh positivo (+) há uma possibilidade de 75 % do bebê expressar um fator Rh positivo. Nesse caso, o sangue do bebê apresenta um elemento (o fator Rh) que o organismo da mãe não possui, isso causa uma incompatibilidade sanguínea entre a mãe e o bebê.




Em uma primeira gestação, o bebê com Rh positivo não sofrerá qualquer problema. Mas, uma vez que essa mãe teve contato com este sangue com fator Rh incompatível com o dela, seu sistema imunológico da mulher irá produzir anticorpos contra o fator Rh do feto. Na próxima gestação (somente na próxima), esses anticorpos, durante a gestação, poderão atravessar a placenta e destruir as células sanguíneas do futuro bebê.

O médico irá orientar com muita cautela todo o procedimento necessário nestes casos. Mais uma vez, não há motivos para preocupação. Para entender isso, sugerimos essa leitura: Por que é tão importante saber o tipo sanguíneo durante a gravidez? E também: O que significa Rh negativo? Por que as mães com esse Rh precisam de vacinas?


Novidades

Topo