Estudos e pesquisas

Essas são 5 coisas que todos nós fazemos que estão destruindo nosso cérebro e causando deficiência cognitiva

Essas são 5 coisas que todos nós fazemos que estão destruindo nosso cérebro e causando deficiência cognitiva
5 (100%) 3 votes

Nosso cérebro nunca para de funcionar, mesmo quando dormimos profundamente, ele sempre está ativo. Isso quer dizer que nossos neurônios estão sempre em intensa atividade. com isso, a saúde cognitiva vai diminuindo conforme passam os anos, o que faz com que, em idades mais avançadas, passamos a ter dificuldade de concentração, esquecer as senhas que sempre usamos,  nome de pessoas, entre outras coisas.

Tudo isso está intimamente ligado à vida útil de nossas células cerebrais. Existem pequenos hábitos que consideramos “normais” na nossa vida, mas que contribuem para a morte de nossos neurônios. Manter o estímulo cerebral é indispensável. Veja a seguir 5 maus hábitos que estão matando seus neurônios.


1- Não tomar café da manhã

Um estudo realizado com crianças mostrou ficar sem se alimentar de manhã pode causar danos nos neurônios e dificultar o funcionamento cognitivo. No estudo as crianças em idade escolar que costumavam tomar café da manhã tiravam melhores notas na escola, sobretudo nas áreas de ciências. O café da manhã não apenas desempenha um papel fundamental no metabolismo e no peso corporal, mas também é necessário para ativar o cérebro na primeira hora da manhã.

A falta de proteínas, vitaminas e nutrientes no café da manhã causa degeneração cerebral, o que mais tarde pode levar à morte de neurônios pela sobrecarga que ocorre durante as atividades do dia a dia.

2- Dormir pouco

Um estudo da Universidade de Rochester (EUA), publicado na revista Sleep, comprovou que A falta de sono pode promover processos de neurodegeneração, enquanto que, pelo contrário, um boa noite de sono pode ter uma grande importância para a manutenção da saúde do cérebro. O estudo também mostra que o sono acelera a limpeza de toxinas do cérebro. Entre essas toxinas estão a beta-amiloide que, cumulativamente, promove a doença de Alzheimer.

3- Não conversar (pessoalmente) com outras pessoas

Pesquisas realizadas na Universidade de Michigan, (EUA), mostraram que apenas 10 minutos de conversação todos os dias são suficientes para aumentar a capacidade mental de alguém. A conversa pode ser pessoalmente ou por telefone e não vale mensagens de textos. Este tipo de interação, segundo o estudo, favorece a capacidade de raciocínio rápido para engajar a conversa e isso causa um estímulo extra no cérebro.  Segundo o psicólogo, Oscar Ybarra autor do estudo, a socialização é tão eficaz quanto os tipos mais tradicionais de exercícios mentais.

4- Dormir com a cabeça coberta

Este é um mau hábito bem comum. Se você cobrir a cabeça com lençol ou cobertor quando for dormir, ficará mais exposto ao dióxido de carbono que seu organismo libera ao expirar (a gente inspira oxigênio e expira dióxido de carbono). Isto pode levar ao aumento da pressão sanguínea e dor de cabeça. Estudos também apontam para problemas como demência e mal de Alzheimer causados por este hábito aparentemente inofensivo.

5- Não ter hábito de leitura

A falta de estímulo é uma das grandes causas de danos nas células do cérebro. Diversos estudos já comprovaram que a leitura é uma ótima forma de estimular os neurônios. Um estudo realizado por neurocientistas da Universidade Johns Hopkins, (EUA), apontou que a leitura de livros pode ser um exercício valioso para o cérebro, já que quando lemos, o sangue flui para diversas áreas associadas à concentração e, no caso de uma leitura mais crítica, também para áreas menos ativas do cérebro. Logo, o estudo conclui que a forma de leitura afeta o cérebro e pode indicar formas de treiná-lo para ser cada vez melhor em atividades que exigem compreensão e concentração.

melhorcomsaude / estantevirtual Artigos: umich  / cambridge

Novidades

Topo