Comportamento

Sexólogo explica porque as crianças não devem ficar expostas e tocar em corpos adultos nus

Depois da polêmica de uma exposição do MAM, em que o nu de um homem adulto envolveu crianças, as redes sociais têm dividido opiniões. Para algumas pessoas as imagens são constrangedoras, para outras não passa de uma exposição artística como outra qualquer.

Quem está certo, ou errado, não vem ao caso. Reunimos aqui a opinião médica do Dr. João Luiz Borzino, sexólogo, que há mais de 12 anos atua como terapeuta sexual, trabalhando em terapia de disfunções e distúrbios sexuais de fundo psicoemocional e clínico. Além de ser, uma das mais requisitadas e confiáveis fontes de informação da imprensa nacional e internacional sobre sexo e seus distúrbios.


O médico procura deixar claro que a opinião é de um especialista e sexologista. Segundo Dr. Borzino, sobre o desenvolvimento sexual de uma criança, ficar exposta a um corpo nu conforme aconteceu na exposição do MAM é absolutamente errado. “Não existe nenhuma interpretação errônea em dizer que aquilo faz mal para a criança”, disse.

A sexualidade infantil é algo que está em gestação, segundo o médico. “Deve ser respeitado a todo custo cada fase de desenvolvimento para que elas desenvolvam a sexualidade e afetividade saudável. Existe uma sequência de colocações adequadas para cada fase desde o nascimento”, disse. Ele ainda completa explicando que se acontecer algum tipo de interferência, como por exemplo uma criança tocando um corpo nu de homem desconhecido, a sexologia considera que esta criança não está desenvolvendo de igual para igual com as outras.

Este tipo de rompimento das fases, levará a um desenvolvimento ansioso, sentimento de culpa pois a criança não possui um aparato afetivo, complexo e estruturado como um adulto. Ela não saberia distinguir a situação como amena e normal. Isso pode levar a diversos transtornos em diversos graus, da qual pode se citar ansiedade, depressão e desvio de sexualidade.

O médico explica que é muito triste para ele ver as pessoas defendendo de um lado e de outro sem saber o que estão realmente falando. “A coisa é muito mais grave, e a gente pode ver isso a nível de consultório. Quem está envolvido na área de terapia sexual sabe exatamente o que acontece”, disse o médico.

Defender a exposição de uma criança a um corpo nu não é defender a arte. A arte é expressão, é cultura, é disseminação de conhecimento. Sim, mas nem sempre é boa, assim como, o conhecimento científico muitas vezes é equivocado e não traz benefícios. “Vamos cuidar bem das crianças, vamos evitar a negligencia. Vamos parar de discutir o sexo dos anjos e buscar a orientação correta. Vamos sair do ‘achismo’ e vamos conhecer a verdadeira luz do conhecimento”, completa o médico.

O vídeo abaixo, divulgado pelo Biólogo, colaborador do Diário de Biologia e pós-graduando em Pedagogia Vinícius Silva, também fala um pouco sobre este rompimento de fases, com ênfase da violação do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Informamos que temos todo e o maior respeito pelo artista Wagner Schwartz e exaltamos sua performance como tal. Sabemos que a peça estava envolvida em um contexto artístico. Respeitamos todos os artistas e a opinião dos nossos leitores.

Novidades

Topo