Estudos e pesquisas

Marido entrega o corpo da esposa morta para ser congelado. Ele espera que ela possa ser ‘ressuscitada’ com tecnologia do futuro

Uma mulher chinesa, Zhan Wenlian, que morreu vítima de um câncer de pulmão, com 49 anos, foi congelada por cientistas na tentativa de ser ressuscitada no futuro. Ela foi alocada em um tanque gigante com dois mil litros de nitrogênio líquido.

O corpo foi doado pelo marido dela, Gui Junmin, que afirmou que o ato foi um desejo do casal para que a esposa pudesse contribuir com a ciência. Ele próprio diz ser adepto de novas tecnologias e acredita que no futuro seja totalmente possível ressuscitá-la.


Os responsáveis pelo projeto na China, em parceria com uma fundação norte americana declararam que a Zhan e sua família foram devidamente informados dos riscos e da possibilidade deste procedimento falhar.

A técnica de congelamento em nitrogênio líquido é conhecida como criogenia, onde o corpo (após a morte) é congelado por submersão, permanecendo assim até que os cientistas descubram uma forma de ressuscitá-lo. O marido de Zham declarou que já mostrou interesse em participar desse projeto quando falecer, dizendo que quer fazer companhia à esposa no futuro.

Esse procedimento vem ganhando mais adeptos a cada dia no mundo todo. Mais de 250 pessoas estão congeladas ao redor do mundo e mais de duas mil (que ainda não morreram) estão na lista de espera para entrar no projeto. Cientistas calculam em média 200 anos para que a humanidade descubra técnicas para trazer pessoas congeladas de volta à vida.

 aeiou

Novidades

Topo