Sua saúde

Doador cearense com tipo sanguíneo raro, registrado em apenas 11 famílias brasileiras, salva criança na Colômbia

Brasileiro, de 23 anos, do Ceará foi responsável pela primeira doação internacional do sangue Bombaim (ou hh), raro em todo mundo. O rapaz salvou a vida de uma bebê de uma no e três meses internada com hemorragia digestiva grave em um hospital, em Medellín, na Colômbia. Em todo território colombiano, não foi registrado nenhum doador deste tipo sanguíneo.

As autoridades colombianas entraram em contato com outros países por meio da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) e um jovem brasileiro morador de fortaleza compatível aceitou prontamente fazer a doação, realizando um procedimento inédito no Brasil. A bolsa de sangue com 370 mL foi transportada por uma enfermeira colombiana. A menina recebeu 80 mL do sangue e o restante foi preservado para necessidades futuras.


De acordo com a Secretaria da Saúde, no Brasil, apenas 11 famílias possuem o registro desse tipo de sangue e o doador cearense faz parte de uma dessas famílias.

Conforme explicou a hematologista Denise Brunetta, coordenadora do laboratório de Imuno-hematologia do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará, o fenótipo Bombaim não tem o antígeno H nas células vermelhas do sangue. Também é conhecido como “ falso O”, o grupo sanguíneo de Bombaim não tem nenhum antígeno ABO, nem H. Ser deficiente para a enzima H não causa doença, mas se uma transfusão sanguínea for necessária, pessoas com fenótipo Bombaim podem receber sangue apenas de outros doadores que também são deficientes para a enzima H.

Leia mais sobre o assunto:  Fenótipo de Bombaim: pessoas que nunca vão saber seus tipos sanguíneos.

 

Folha / G1

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.