Animais

Especialistas preocupados: Já são mais de 40 ataques de morcegos a pessoas no Brasil e pior, com uma morte confirmada

As consequências do desmatamento na Amazônia, os morcegos passaram a atacar pessoas na região Nordeste. De fevereiro a maio de 2017 já foram registrados 40 episódios de ataques de ataques noturnos. O primeiro caso, no entanto, resultou na morte do paciente, que foi atacado por um morcego na zona rural do município de Paramirim, sudoeste da Bahia, e só procurou atendimento 21 dias depois que foi mordido. As pessoas têm amanhecido com feridas profundas e camas manchadas de sangue, e pior, há suspeita de que algumas dessas pessoas podem ter sido expostas a raiva (Hidrofobia).

O especialista Julian Drewe, do Royal Veterinary College, diz que já é do conhecimento dos especialistas as doenças em morcegos e, historicamente, elas nunca foram um problema. “Agora, há motivos para preocupação conforme as cidades expandem o deslocamento desses animais, aumentando seu contato com os seres humanos”, disse.


As autoridades brasileiras estão agindo emergencialmente de forma equivocada, estão tentando controlar os morcegos, envenenando-os e removendo-os de seus locais de descanso. Drewe explicou que essas medidas desorientadas podem resultar no deslocamento dos morcegos para outras áreas e isso não resolverá de fato resolvam o problema.

Procure atendimento urgente

É preciso encorajar a população a buscar atendimento médico imediato em caso de novos ataques. A urgência tem motivo: caso uma pessoa seja mordida por um morcego, ela só tem 24 horas receber a injeção de imunoglobulina, aplicada contra a raiva, e que impedirá o vírus de entrar no sistema nervoso. A localização das mordidas determina a rapidez com que a raiva se manifesta. Uma mordida no dedo do pé leva mais tempo para adoecer uma pessoa que foi mordida na cabeça, por exemplo.

Fonte: hypescience   Imagens:

Acesse nosso novo site! data-recalc-dims=

Novidades

Topo