Comportamento

Uma em cada 5 mortes no Japão são “mortes Solitárias”: quando a pessoa morre e ninguém percebe sua falta |imagens fortes

O termo usado no Japão é “Kodokushi“, que significa literalmente “morte solitária”, mostra a real realidade da situação social deste país. Ao que parece, pessoas estão morrendo, deixando de existir e ninguém sente sua falta, ninguém nota sua ausência. As estatísticas mostram que de 1.500 mortes, 300 são casos de “morte solitária”.

Os casos são tantos, que em cidades grandes há serviços especializados em limpeza da habitação onde a pessoa morreu e ficou ali por semanas, meses, anos se decompondo sem que ninguém percebesse. Os casos mais frequentes são de idosos que vivem sós e mantém suas contas pagas automaticamente no banco. Um bom exemplo disso foi um senhor de 85 anos encontrado em seu apartamento em  Tóquio, várias semanas após a sua morte. Apesar de ter filhos, netos e vizinhos, a ausência do velhinho não foi notada por ninguém.


Problema Social

O primeiro caso de “morte solitária” no Japão foi descrito em 1980, foi a partir daí que as autoridades passaram a olhar com mais afinco para este problema social. Em 2009 foram registradas 32.000 mortes solitárias. A causa principal deste triste fenômeno é sem dúvida o isolamento social.

 Os japoneses tendem a trabalhar muito ao longo de toda a vida e por isso não cultivam amizades e não tem o hábito de se reunir com a família para um almoço no final de semana. Após a aposentadoria ficam completamente sozinhos. Eles não buscam qualquer relação com os amigos ou a família.

As pessoas desaparecem do mundo e ninguém nota!

As pessoas ficam doentes e morrem, mas ninguém fica sabendo!

Muitas pessoas, nitidamente tiveram um morte sofrida, com dores.

O fenômeno acontece, na maioria, com homens com mais 70 anos .

São semanas, meses sem mandar notícias, mas ninguém percebe.

Fonte e Imagens: jornalciencia

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.