Comportamento

Capacidade de adaptação, auto-controle e mais: como o poker ajuda os profissionais fora das mesas



O poker é considerado um esporte mental há anos pela Federação Internacional dos Esportes da Mente (IMSA), ou seja, é uma atividade na qual as habilidades intelectuais dos profissionais podem ser comparadas ao xadrez, gamão ou ao Go. Sendo assim, não é nenhuma surpresa descobrir que ele ajuda a desenvolver noções de matemática e estatística, que aumenta o raciocínio lógico e que estimula o cérebro a pensar sempre na melhor forma de resolver problemas.

Pensando nisso, os professores Adrian Parke, Mark Griffiths e Jonathan Parke, da renomada Universidade Nottingham Trent do Reino Unido queriam saber quais outras habilidades transferíveis para situações práticas que o hábito regular de jogar poker, tanto online quanto offline, poderia trazer para os jogadores (profissionais e amadores).


A indagação – e subsequente estudo – resultou no artigo “Can playing poker be good for you? Poker as a transferable skill” (“Jogar poker pode ser bom para você? Poker como uma habilidade transferível”, em tradução livre) e apresentou ótimos resultados.

A habilidade de se adaptar a uma grande variedade de situações ou aproveitar uma oportunidade quando ela aparece é uma das bases da flexibilidade. Jogando poker, você precisa aprender a lidar com diversas situações que mudam durante os jogos e de um jogo para o outro. Por exemplo: seus oponentes e o estilo de jogo deles sempre vai variar, assim como a sua quantidade de fichas.

Os professores afirmam que a habilidade de olhar algo de diversos pontos de vista e se adaptar  não é algo “que possa necessariamente ser ensinado” e que só vem com a experiência, que pode ser adquirida em um ambiente competitivo como o do poker.

Felipe Mojave, um dos mais bem-sucedidos brasileiros no esporte, conta que desenvolveu capacidades de se adaptar a situações adversas por meio do poker – e que o esporte foi uma das principais ferramentas que o ajudaram a enfrentar e superar grandes desafios em outras esferas da vida.

Conhecer os mecanismos de comunicação social e as fontes de conflitos interpessoais pode ser a diferença entre um bom e um excelente jogador de poker. Ter a capacidade de identificar as emoções de um oponente e a variação delas, por exemplo notar quando ele está blefando ou ganhou uma boa mão, oferece ótimos incentivos para qualquer jogador.

Saber interpretar as emoções dos outros não garante automaticamente boas habilidades sociais e inteligência emocional, mas, com certeza, ajuda a desenvolvê-las.

De acordo com os pesquisadores, “ter consciência dos problemas e emoções dos outros durante o trabalho pode ser a chave para ajudar a entender e lidar com eles”, o que definitivamente tornará o ambiente de trabalho muito melhor para todos os envolvidos.

A habilidade de aprender constantemente, no lugar de achar que sabe tudo e descansar sobre vitórias passadas, possui benefícios óbvios para todas as áreas da vida.

No poker, ser “humilde” o suficiente para aprender com jogadores mais experientes e levar as lições aprendidas para os próximos jogos é similar ao aprendizado em outros ambientes em que são passadas informações – como a escola, a faculdade ou o trabalho.

Ainda, como você pode testar quais lições foram ou não úteis, já que você verá seu desempenho melhorar ou piorar a cada jogo, os pesquisadores afirmam que o poker também ajuda a desenvolver critérios objetivos para tomada de decisões.

Da escola até o trabalho e em todas as áreas que envolvem qualquer tipo de curiosidade intelectual, a capacidade de aprender e se atualizar constantemente, tanto sozinho quanto com a ajuda de tutores, e de tomar boas decisões baseadas em critérios objetivos é um diferencial de valor inestimável.

Mojave concorda e afirma que a capacidade de tomar decisões objetivas foi o que o ajudou a decidir sair do cargo de gerente de uma multinacional americana (o mais jovem da história da companhia) para seguir carreira como jogador profissional de poker. “Coloquei lado a lado os prós e os contras de cada uma das minhas opções e vi que meu melhor caminho estava no poker”, afirmou.

A habilidade de agir com a cabeça fria diante de pressões externas e manter a calma em face de adversidades é uma das habilidades mais críticas no poker, afinal, não é incomum que um adversário acabe com um jogo mais alto na última parte de uma jogada e você tenha que se recuperar do prejuízo nas próximas.

E não é diferente no ambiente de trabalho, no qual líderes e gerentes precisam lidar com suas emoções diante de contratempos para conseguir liderar efetivamente suas equipes. Assim como os próprios membros da equipe precisam confiar em seus líderes para se manterem tranquilos independentemente da situação.

Além de servir como um passatempo prazeroso para reunir os amigos e desenvolver a mente dos profissionais, o poker também ajuda a desenvolver diversas habilidades transferíveis para a vida.

Imagem: Source: Pexels

 

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.