Comportamento

Ser mulher não é fácil: Veja quanto custa, por ano, ter uma v@gina no Brasil

Absorventes, anticoncepcionais, remédios para cólica e outros itens que só as mulheres usam podem parecer baratos, mas, somando tudo e outros produtos necessários para manter a saúde íntima feminina em dia, fica claro que eles pesam bastante no bolso das mulheres. Lembrando que aqui, estamos usando parâmetros normais das mulheres. Os preços de alguns itens foram consultados no site Buscapé.

Pílula anticoncepcional

A idade fértil de uma mulher dura em média 37 anos. Isso quer dizer que durante 37 anos da vida de uma mulher, ela pode engravidar. Hoje, não é novidade para ninguém que as meninas estão iniciando a vida sexual bem cedo. Graças às campanhas que previnem a gravidez precoce, muitas mocinhas já têm acesso às pílulas anticoncepcionais.  Ciclo 21, Diane 35, Yasmin, Selene, Elani Ciclo, Yaz são os anticoncepcionais mais usados no Brasil. De acordo com os preços online de uma rede de farmácias, estas pílulas custam entre 23 e 166 reais. Considerando o gasto de 13 cartelas por ano, temos então valores anuais gastos com pílulas entre R$299 e R$2.158.


Absorventes

Durante cerca de 37 anos, desde o primeiro ciclo menstrual até a menopausa, mulheres tem que arcar com uma despesa a mais do que os homens: estoques de absorventes externos, internos e protetores de calcinha! De acordo com estudos estatísticos, em média, uma mulher gasta 20 absorventes por ciclo e uma mulher com ciclo normal, menstrua 13 vezes por ano. De acordo com a pesquisa do site Buscapé, os absorventes mais usados no Brasil custam aproximadamente entre R$5 e R$20 reais (embalagem com 16 unidades), cada absorvente custa então entre R$0,32 a R$1. Resumindo, por ano, uma mulher gasta entre R$83,20 a R$260.

Atenuadores da TPM

A maioria, se não todas as mulheres sempre precisam fazer uso de analgésicos para cólica e dores de cabeça como o paracetamol e ibuprofeno.  Um blíster com 2 comprimidos de Tylenol® custa em torno de 3 reais. Considerando que uma mulher gasta pelo menos 10 comprimidos por mês para controlar estes sintomas, então a cada mês ela tem um gasto de R$20 por mês com o alívio dos sintomas da TPM.

Sabonete íntimo

Apesar dos alertas de que Sabonetes íntimos femininos aumentam a exposição substâncias prejudiciais e não devem ser usados com frequência, o produto é praticamente indispensável no banheiro de uma mulher. Marcas mais baratas ou mais caras, todo mundo está usando. As marcas mais baratas e mais caras variam entre R$5 e R$36 reais. Considerando que a mulheres use 1 frasco de 200 mL a cada mês, por ano ela pode estar gastando entre R$60 e R$420.

Papel higiênico

Apesar de ser uma conduta recomendada para os dois gêneros, pode-se dizer que usar papel higiênico depois de fazer xixi é um hábito mais feminino que masculino. Considerando o gasto médio de 9 rolos por mês para cada mulher, de acordo com um estudo britânico, temos então um gasto de pelo menos 108 rolos por ano. Um pacote de 4 rolos varia entre R$2,70 e R$23. Por ano, então, uma mulher usa em entre R$73 e R$621 em papel higiênico.

Protetores diários de calcinhas

Muitos ginecologistas são contra o uso de absorventes diários, segundo eles esses protetores podem prejudicar a saúde íntima porque mantem a região íntima abafada, deixando-a mais quente e úmida muitas mulheres usam todos os dias trocando pelo menos 3 vezes a cada dia. Descontando os 5 dias da menstruação em que ela estará usando um absorvente mais adequado, uma mulher usa 75 unidades por mês. Uam embalagem com 50 unidades custa entre R$5 e R$22. Fazendo todos os cálculos, por ano, uma mulher pode gastar entre R$90 e R$396.

Somando tudo e outros produtos necessários para manter a saúde íntima feminina em dia, fica claro que eles pesam bastante no bolso das mulheres.

Lencinhos íntimos

Durante a menstruação ou para a higiene fora de casa muitas mulheres usam os lencinhos íntimos. Uma mulher adepta a estes lenços gasta pelo menos umas 4 embalagens deles por mês. Em um ano são 48 embalagens. Cada embalagem varia entre R$5 e R$11. Por ano, ela gastará entre R$240 e R$528.

Depilação

Apesar de muitos médicos dizerem que a depilação total das partes íntimas pode trazer problemas genitais, a maioria das brasileiras são adeptas a limpeza total das partes íntimas. Uma profissional cobra entre R$25 e R$ 150 por uma depilação de virilha completa. Por ano, se a mulher fizer uma depilação a cada 15 dias, ela irá gastar entre R$600 e R$3600.

Ginecologista e exames básicos

Sim, indispensável para toda mulher pelo menos uma vez por ano (caso não tenha problemas de saúde) visitar o especialista como prevenção. Uma consulta custa entre R$60 e R$320, com base em pesquisas da internet, pode ser até bem mais que isso. Vamos levar em conta os exames, relacionados a genitália da mulher, que o ginecologista com certeza pedirá. De acordo com o site canal gravidez, uma ultrassonografia transvaginal custa entre R$60 e R$400 e o Papanicolau (exame de citologia cervical realizado como prevenção ao câncer do colo do útero) custa entre R$50 e R$180.

Nossa tabelinha então ficou assim:

  • Pílula anticoncepcional: R$299 e R$2.158
  • Absorventes: R$83,20 a R$260
  • Atenuadores de TPM: R$20
  • Sabonete íntimo: R$60 e R$420
  • Papel higiênico: R$73 e R$621
  • Protetores diários: R$90 e R$396
  • Lencinhos íntimos: R$240 e R$528
  • Depilação: R$600 e R$3600
  • Ginecologista e exames: R$170 e R$900.

TOTAL: Por ano, uma “pepeca” gasta entre R$1635,20 e R$8.903, dependendo da condição de cada uma. Quem pode gastar mais e quem pode gastar menos.

Fonte: canalgravidez / korui / buscape
Imagens: freepik / financasfemininas

Acesse nosso novo site! data-recalc-dims=

Novidades

Topo