Alimentação

Novo estudo mostra que choques no cérebro podem reduzir os sintomas da Bulimia

A bulimia é um transtorno alimentar grave e pode levar a morte se não tratado a tempo. A pessoa afetada possui uma compulsão alimentar descontrolada e após a ingestão inicia um processo para evitar o ganho de peso, geralmente utiliza-se do vômito. Vivenciado por muitas pessoas e principalmente pelas mulheres, a bulimia é tratável com terapias e uso de medicamentos.

No entanto, uma nova pesquisa divulgada pela King’s College London, instituição de ensino superior do Reino Unido, uma das mais prestigiadas e importantes do mundo, diz que os principais sintomas da bulimia podem ser reduzidos através da eletricidade, ou seja, utilizando estimulação cerebral não invasiva através de pequenos choques no cérebro.


Muitas evidências já mostram que a bulimia está associada com o funcionamento alterado em determinados circuitos cerebrais, como o autocontrole. Por isso, se torna possível normalizar essas vias usando tecnologias da neurociência como a estimulação transcraniana de corrente contínua, chamada de TDCS. Essa técnica é realizada através de uma estimulação cerebral não invasiva que fornece correntes elétricas fracas ao cérebro através de dois eletrodos colocados na cabeça. É muito seguro e não causa nenhuma dor, a sensação é como se fosse uma pequena pressão ou zumbido.

A pesquisa foi realizada em 39 voluntários com o distúrbio que receberam 20 minutos de TDCS e 20 minutos de placebo (não recebiam os choques) em dois dias separados com intervalo de 48 horas. A estimulação foi realizada numa área frontal do cérebro envolvida no autocontrole, responderam questões antes e depois do procedimento que verificou o desejo de comer compulsivamente e vários outros sintomas.

Os resultados observados foram excelentes. Pois mostraram que os sintomas da bulimia foram reduzidos significativamente pelo TDCS em 31% em todos os voluntários. A conclusão do estudo evidenciou que o TDCS pode suprimir o desejo de comer compulsivamente e reduzir a gravidade de outros sintomas em pessoas com bulimia, pelo menos temporariamente. Verificaram que melhora o autocontrole e embora os resultados ainda sejam iniciais é provável que com uma quantidade maior de sessões possa trazer resultados maiores e mais eficazes ao paciente.

Além disso, a vantagem desta técnica é que ela é bem mais barata e de fácil utilização, podendo ser realizada em casa com baixo custo comparado a outras técnicas de estimulação cerebral, isso poderia ser uma alternativa para complementar as terapias psicológicas e como uma oportunidade a mais no tratamento da doença.

Fontes: iflscience / theconversation
Artigos: Rachel Marsh et. al/ Maria Kekic et. al
Imagens: Reprodução/ sintomasiniciais / tuasaude

Comentários

Novidades

Topo