Anomalias e doenças

Eventos traumáticos podem deixar a pessoa em “Estado de Choque”. Mas o que é isso, exatamente?

Acredito que você já tenha ouvido em algum noticiário, que alguém, depois de sofrer um acidente, ou então depois de receber uma notícia, entrou em estado de choque e teve que ser hospitalizada. Mas o que é isso? O que acontece com o nosso corpo? E por que isso acontece?

O estado de choque é o nome popular para Transtorno De Estresse Agudo ou reação aguda ao estresse. É a reação do corpo, a uma situação de perigo direta ou indireta. Pode desaparecer em algumas horas ou durar semanas, dependendo da pessoa.


Entrar em estado de choque depende muito da pessoa e como ela reage ao estresse físico e psíquico. Situações em que algumas pessoas reagem moderadamente, outras podem ficar dias em estado de choque. Mas o que causa? Bom, como o nome já diz, qualquer situação de estresse extremo, pode levar uma pessoa aos sintomas do estado de choque. Um assalto, um acidente, uma notícia de morte de amigos ou entes queridos, sequestro, entre outras situações. Como já foi dito anteriormente, depende muito da pessoa que sofreu o estresse.

Os sintomas são variados, entre eles estão: atordoamento, desorientação, perda de sensibilidade ao ambiente (como um estado de anestesia), confusão mental, estupor dissociativo (a pessoa fica incapaz de se mover, porém consciente de tudo ao seu redor). Isso tudo acompanhado de taquicardia, suor intenso, ondas de calor. Os sintomas podem acontecer alguns minutos após o evento e diminuir horas depois.

Situações em que algumas pessoas reagem moderadamente, outras podem ficar dias em estado de choque.

Existem casos que os sintomas duram semanas, tendo que fazer tratamento acompanhado por especialistas. Geralmente a pessoa é medicada com antidepressivos e psicoterapia. Mas também existem tratamentos alternativos, como a acupuntura, exercícios para relaxar, tudo combinado com psicoterapia. Caso os sintomas como: medo de sair de casa, medo de praticar alguma atividade ligada ao trauma sofrido, durem mais de um mês, o diagnóstico muda para transtorno de estresse pós-traumático. E caso os sintomas durem mais de um mês, porém não tão graves, o diagnóstico pode ser alterado para transtorno de adaptação.

Falar sobre a prevenção do transtorno de estresse agudo é algo meio surreal, já que nunca sabemos quando irá acontecer um evento traumático. Mas é importante acompanhar de perto uma pessoa que passou por um evento assim, pois quanto mais rápido o acompanhamento de um especialista, menos a probabilidade do agravamento do estado de choque. Um tratamento rápido pode ser crucial para não se tornar um transtorno de estresse pós-traumático.

Fontes: indicedesaude / infoescola
Imagens: Reprodução/ gazeta-bam / emagrecereperderpeso

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Comentários

Novidades

Topo