Uma árvore considerada extinta foi encontrada no quintal da Rainha Elizabeth II

Quem pensou que ela tinha sumido do planeta Terra errou feio! A árvore Wentworth Elm, cientificamente chamada de Ulmus wentworthii pendula, foi encontrada justamente no jardim da Rainha Elizabeth II em Edimburgo. Os cientistas já tinham dada como extinta por décadas, mas felizmente foram encontradas duas espécies desta árvore nos terrenos da realeza quase escondidos entre outras espécies.

Não foi tão difícil de notar sua existência, até porque com a sua altura de 33 metros e uma aparência bastante peculiar dos galhos e folhas ficou fácil de identificar a espécie. Que fez a descoberta foram os cientistas do Royal Botanic Garden Edinburgh (RBGE) durante um levantamento dos terrenos do Palácio de Holyroodhouse, residência da Rainha na Escócia.

Os pesquisadores estavam desacreditados com esta espécie, pois não viam uma dessas árvores desde a última epidemia da doença de Olmo que atacou e matou muitas espécies européias e norte-americanas, causada por um fungo transportado por besouros e que ocorreu no século 20. A descoberta fez com que os cientistas ficassem intrigados com a sua sobrevivência depois da epidemia, mas atribuíram essa raridade pelo fato de que o conselho da cidade de Edimburgo mandou retirar todas as espécies doentes desde os anos de 1980. Essa seria a única razão pela qual essas duas espécies não contraíram a doença de Olmo.

pruned_ulmus_wentworthii_at_holyrood

Os botânicos estão trabalhando arduamente para que a espécies sejam disseminadas pela Europa e possam espalhar-se novamente, por isso estão buscando técnicas que permitam tal realização, garantindo o desfruto da árvore para as próximas gerações.

Agora uma equipe do jardim, juntamente com a Historic Environment Scotland (HES) se comprometeu a realizar a manutenção e ajudar cuidadosamente das espécies ao longo dos anos, incluindo fazer a podação e reparos necessários na árvore, além disso, o gerente, Alan Keir da HES disse que está muito feliz em poder ajudar e cuidar de espécies tão preciosas para o meio ambiente e, principalmente, para o planeta Terra.

Fontes: iflscience / theguardian / sciencealert
Imagens: Reprodução/sciencealert