Comportamento

As pessoas que leem livros vivem quase 2 anos a mais, diz estudo



A notícia é boa para os “book-acolich”. Um NOVO ESTUDO revelou que pessoas que leem livros por pelo menos 30 minutos a cada dia são mais propensas a desfrutar de uma vida mais longa.

Para chegar a essas conclusões, pesquisadores estudaram 3.635 pessoas com 50 anos ou mais. No final, aqueles que passaram do tempo livre lendo livros sobreviveram quase dois anos a mais, em média, do que aqueles que não liam nada. Para colocar de outra forma, os leitores tiveram uma “vantagem de sobrevivência de 23 meses”, disseram os autores.


As descobertas, relatadas por uma equipe da Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale, mostraram que as pessoas liam mais, provavelmente viveriam tempo, e apenas 3,5 horas por semana era o suficiente para fazer a diferença no final da vida.  O estudo mostra apenas uma associação entre a leitura e longa vida, e não uma causa e efeito, assim, não adianta sair lendo um livro por dia para aumentar sua expectativa de vida. Mas, o que a pesquisa mostra é que lendo pelo menos meia hora por dia, você poderá manter a mente ativa e saudável.

Baseado em uma PESQUISA  anterior da Emory  University, em Atlanta, os pesquisadores de Harvard sugerem que o processo lento e cria um “envolvimento cognitivo”, principalmente se você passa o tempo lendo um romance que mantem a mente ativa e fortalece as regiões de processamento de linguagem no cérebro. Em outras palavras: “o livro faz o cérebro o mesmo que uma academia faz com o corpo”, dizem os pesquisadores.

Para surpresa dos  autores, o estudo constatou que a leitura de livros aumentava a probabilidade de aumentar a longevidade de uma pessoa do que ler jornais ou revistas. “Este efeito acontece porque os livros envolvem a mente do leitor, proporcionando benefícios cognitivos, e, portanto, aumentando o tempo de vida“, disse um dos autores do estudo, Avni Bavishi.

lendo-livros-9

As pessoas incluídas na amostragem para o estudo foram divididas em três grupos: aqueles que não liam nada, aqueles que liam por até 3,5 horas por semana, e aqueles que liam por mais de 3,5 horas por semana. Permitindo a fatores como gênero, raça e educação, depois de 12 anos tinha passado, aqueles no grupo que liam mais de 3,5 horas por semanas tinham 23% menos probabilidade de morrer durante esse período de tempo. Aqueles no grupo até 3,5 horas tiveram a vantagem de 17% de probabilidade de morrer do que aqueles que não liam nada.

Os pesquisadores vão agora analisar se existem diferenças notáveis entre leitura de ficção e não-ficção, e se utilizando e-books e audiobooks é tão benéfico como ler romances de papel tradicionais.

Corram para as bibliotecas, pessoal!

Site: sciencealert
Artigos: Short- and Long-Term Effects  / A chapter a day: Association of book 
Imagens: Reprodução/ depoisdosquinze/ cottesserhoeve
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.