Anomalias e doenças

Sentir dor de cabeça depois de ter relação é uma doença, sabia?

Dificilmente você tem, ou então conhece alguém que sofre com ela, já que esta doença atinge apenas 1% de toda a população ocidental. A cefaleia orgástica.

Também chamada de cefaleia copulogênica, cefaleia associada à atividade sexual ou então cefaleia orgásmica, é uma doença que tem como sintoma dores de cabeça após o orgasmo ou então durante o ato sexual. A doença afeta tanto homens quanto mulheres, mas a maioria dos pacientes são homens entre 20 e 25 anos de idade, segundo estudo realizado na Universidade de Munster, na Alemanha. Além disso, é mais comum em pessoas que já sofrem de enxaqueca.


Segundo Abouch Krymchantowski, neurologista especializado em dor de cabeça, dos mais de 250 tipos de dor de cabeça, a cefaleia do orgasmo representa de 0,2 a 1,3% de todas as dores de cabeça que se manifestam em caráter mais frequente em pacientes.

Segundo o neurologista Pedro Moreira, membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia e professor de Neurologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal Fluminense, para se diagnosticar a cefaleia orgástica é preciso que a dor de cabeça aconteça na vigência do ato sexual. Ela pode ser manifestada de 2 maneiras. Na fase inicial de excitação ou da relação sexual, é menos comum e é chamada de cefaleia pré-orgástica. Neste caso a dor de cabeça vai aumentando conforme a pessoa vai se excitando, tendo que muitas das vezes interromper o orgasmo. No segundo tipo, a dor de cabeça aparece no clímax do ato sexual. Krymchantowski afirma que é uma dor explosiva que atinge a nuca ou toda a cabeça. Neste último caso os pacientes relatam dores durando até 48 horas.

A cefaleia orgástica não tem uma causa principal conhecida, sendo que alguns estudiosos afirmam que tem relação com o aumento da pressão sanguínea durante o ato sexual, quando a dilatação de vasos na cabeça e a produção de serotonina podem desencadear as crises. Outros defendem que as pessoas que sofrem com a doença, apresentam um desequilíbrio químico natural, recebendo o estímulo do orgasmo como um fator desencadeante da dor. Uma teoria pouco aceita, afirma que é ligado ao estresse.

Também chamado de "dor de cabeça sexual primária", esta condição é simplesmente uma dor de cabeça mesmo. Este terrível tormento é descrito como uma dor profunda atrás dos olhos

Também chamado de “dor de cabeça sexual primária”, esta condição é simplesmente uma dor de cabeça mesmo. Este terrível tormento é descrito como uma dor profunda atrás dos olhos

Sob qualquer suspeita, é preciso procurar um neurologista especializado em dor de cabeça. “Ainda há muito desconhecimento em relação a essa doença, por isso é importante procurar um especialista“, afirma o neurologista Abouch Krymchantowski. O neurologista Pedro Moreira alerta que a cefaleia orgástica não coloca ninguém em risco de vida, porém é preciso investigar para afastar outras causas mais graves e fazer o diagnóstico correto. É fundamental realizar exames como arteriografia cerebral, angioressonância cerebral e ressonância do cérebro, já que dor de cabeça pode ser ligado há causas graves.

Fazendo corretamente os exames pedidos e eliminando causas graves é hora do tratamento, que é feito com medicação, na maioria das vezes por via oral e tomado entre uma ou duas horas antes do ato sexual. Hábitos saudáveis também são importantes, como dormir cedo, praticar exercícios físicos, controlar o estresse e uma alimentação balanceada. E nunca ter vergonha de procurar um especialista.

Fonte: saude.terra/ infoescola
Imagens: Reprodução/revistavivasaude/ ravishly

Comentários

Novidades

Topo