Anomalias e doenças

O aplicativo “Pokémon Go” está tirando pessoas da depressão e do sedentarismo!



Para quem não sabe, o  Pokémon Go, um jogo de realidade aumentada para smartphones. Ele usa seu GPS. Você joga andando pelo mundo real e caçando pequenos monstros virtuais como o Pikachu e Jigglypuff em lugares perto da localização do seu telefone e treinando-os para lutar uns contra os outros. O sucesso vem da mistura de jogo e realidade. Na tela do telefone você vê o mundo real, como na câmera do seu celular, mas habitado por monstrinho do Pokémon. Para progredir no jogo, os jogadores devem andar para encontrar – e capturar – Pokémons em locais específicos de acesso chamados Pokéstops – onde Pokébolas e outros itens úteis, como Pokéovos, são recolhidos. Chegar a Pokéstops e pegar Pokémons diferentes requer uma boa dose de caminhada e muita diversão.

Desde o surgimento do Pokémon Go, em poucos dias o joguinho já passou a dominar a vida real das pessoas e, segundo especialistas, teve alguns impactos positivos surpreendentes na saúde (da vida real) de muita gente. As pessoas têm sentido vontade de caminhar e os jogadores estão descobrindo coisas interessantes de curtir na cidade em que vive. Hoje, o jogo é mais baixado que o Tinder e virou mania nos Estados Unidos, atraindo atração em todo o mundo.


O John M. Grohol da  PsychCentral relatou que os usuários passaram a relatar nas redes sociais suas experiências positivas com o jogo, a maioria das pessoas se sentem aliviadas dos sintomas de depressão e ansiedade. O fato, é que o jogo tem motivado as pessoas levantarem da cama e sair de casa para caçar os Pokémons virtuais, algo que muitas vezes é imensamente difícil para uma pessoa com depressão.

Minhalres de pessoas passaram a relatar nas redes sociais o quanto estavam se sentindo bem jogando o Pokémon Go.

Milhares de pessoas passaram a relatar nas redes sociais o quanto estavam se sentindo bem jogando o Pokémon Go.

Para uma pessoa que sofre de depressão ou outro transtorno de humor, a ideia de ter que fazer exercícios físicos é algo praticamente impossível.”, diz Grohol. “Para alguém que sofre de ansiedade e fobia social, a ideia de sair de casa e, eventualmente esbarrar em outras pessoas que pode querer falar com você, é assustador. ” Mas, o aplicativo incentiva as pessoas a sair e explorar seu bairro para encontrar e capturar Pokémons, e ainda, são premiados com interação social sem força contrária.

Há um senso de comunidade quando os treinadores convergem em busca de um Pokémon, ou quando eles se reúnem em Pokéstops. O jogo une as pessoas, proporcionando oportunidade para a interação social e aumentando o nosso sentimento de pertencimento, o que pode ter um impacto positivo sobre a nossa saúde emocional e mental.

Perigos

O aplicativo tem feito um bem comprovado para muitas pessoas, no entanto, se multiplicarmos o número de jogadores de Pokémon Go pelo número de quilômetros que eles devem andar para progredir no jogo, e as chances de consequências negativas aumentam. Há relatos de pessoas que caíram por tropeçar no meio-fio ou sofreram lesões por não prestarem atenção em onde estão andando. Assim, o melhor é manter a segurança e as melhores práticas em mente, sempre!

Fontes: hypescience/ sciencealert/ psychcentral/ bbc
Imagens: Reprodução/ theinsightfulpanda/ wibunews
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.