Alimentação

Mais uma doença parasitária que você pode pegar comendo carne de porco!

Você costuma comer carne bovina ou suína mal passada ou tem aquele hábito de comer carnes escorrendo o sangue? Pois é, muita gente tem esse hábito quando vai comer alguma carne, especialmente, nas churrascarias. O grande problema relacionado em comer carnes cruas ou mal cozida está na contaminação deste alimento por alguns parasitas, particularmente pelos nematódeos. Um parasita nematódeo famoso do gênero Trichinella que pode infectar os seres humanos através da carne de porco contaminada traz sérios danos a saúde humana, doença parasitária conhecida como Triquinose.

De acordo com um estudo disponível no Repositório Institucional da Universidade Fernando Pessoa, a espécie mais conhecida que causa a doença é o Trichinella spiralis que também é um dos mais estudados na medicina humana. Esse parasita é morfologicamente cilíndrico e não-segmentado. Não é um parasita muito complexo, assim como as demais espécies do gênero Trichinella, apresenta boca, esôfago, tubo digestivo e ânus, não apresentam sistema circulatório, são caracterizados por serem alongados, amarelados, elásticos e flexíveis. Os machos diferem da fêmea pelo tamanho e pelos genitais.

A infecção ocorre, primeiramente, em animais selvagens que uma vez infectados conseguem transmitir o parasita para os demais hospedeiros. Geralmente, carcaças de ratos infectados são consumidas pelos porcos e sua carne é contaminada pelo parasita, quando não cozida adequadamente pode infectar o ser humano e causar a doença. A larva presente no tecido muscular é ingerida, há libertação da larva no estômago, penetração no intestino delgado para que possa crescer e entrar na fase adulta realizando o acasalamento, onde as fêmeas são deslocadas para as vilosidades do intestino delgado onde ocorre o nascimento de novos parasitas.

A triquinose humana já foi documentada em cerca de 55 países de todo o mundo. Uma revisão biologica da doença publicada no The Journal of Infectious Diseases explica que muitas vezes, pessoas infectadas não possuem nenhum tipo de sintoma, porém depende do grau da infecção, por isso, os sintomas mais comuns são: náuseas, vômitos, dor de cabeça, mal-estar, diarréia, febre, edema, erupções cutâneas, hemorragia, problemas de visão e paralisia muscular, neste caso a infecção torna-se severa. É muito comum ocorrer edema ao redor dos olhos, como se fosse uma conjuntivite. Sintomas mais graves podem ocorrer se a infecção evoluir rapidamente, como: vertigem, encefalite, meningite, pleurite, embolia pulmonar, taquicardia e hemorragias.

ciclo-triquinose

Devido os sintomas serem muito parecidos com várias outras doenças parasitárias, o seu diagnóstico é dificultado e por isso é realizado um diagnóstico diferencial, onde será avaliado os sinais clínicos e todos os sintomas presentes no paciente. Essa demora no diagnóstico pode beneficiar ao estabelecimento da infecção e tornar o parasita mais resistente aos medicamentos.

O tratamento mais utilizado nos seres humanos é através de fármacos como o Albendazol e o Pirantel. Para controlar as dores e a inflamação é utilizada a Prednisona. O tratamento dos animais também é realizado com o Pirantel e também com o Tiabendazol, apenas para uso veterinário.

A melhor garantia para não ser infectado é a prevenção, por isso cozinhar bem qualquer tipo de carne, principalmente a suína. Verificar a procedência da carne e ficar de olho na higienização do local onde é tratado o alimento que será servido, pois não há melhor remédio que prevenir contra certas doenças, principalmente quando se trata de doenças parasitárias.

Artigos: A Review of Biologic   &   Triquinose: do parasita
Imagens: tuasaude/ portaldozacarias/ wikimedia
Comentários

Novidades

Topo