Estudos revelaram que formigas de cidade grande se adaptaram a comer “junk food” e vão muito bem, obrigado!

Já foi o tempo em que as formigas urbanas buscavam nosso pote de açúcar. Agora, as sociedades que são capazes de sobreviver com alimento do tipo “junk food” (“comida lixo”, alimentos com alto teor calórico, mas com níveis reduzidos de nutrientes) adquiriram uma certa vantagem sobre as espécies que vivem nas florestas e espaços verdes.

Foi isso que um estudo publicado na revista Proceedings da Royal Society B. Segundo Clint Penick, autor do estudo, as formigas que vivem nas calçadas das gradnes cidades tem um apetite muito maior por junk food e alimentos gordurosos do que aquelas, da mesma espécie que vivem nos parques e florestas. “As formigas que vivem nas grandes cidades se adaptaram em comer as comidas que fazemos” completou Penick.

Tanto para seres humanos como para formigas, uma dieta rica em gramíneas, como milho e cana, deixa uma assinatura química no corpo sob a forma de carbono-13, um isótopo de carbono. Então, os pesquisadores analisaram os níveis de carbono-13 presente em 21 espécies de formigas coletadas a partir de dezenas de locais nas calçadas, ilhas e parques de Nova Iorque. Os resultados mostraram que as espécies que viviam em áreas com maior presença humana geralmente tinham níveis mais elevados de carbono-13 do que as espécies que aderiram a parques. Os espécimes do gênero Tetramorium, mais comuns nas calçadas, tinha os maiores níveis de carbono-13 entre todas as espécies.

ants-love-Junk-Food

Os autores acham que se adaptar a comer alimentos humanos poderia ser uma vantagem para as formigas de cidade grande, o que lhes permite prosperar em áreas onde sua dieta natural não é tão abundante. “Os seres humanos trazem uma tonelada de recursos alimentares. A espécie que pode tirar proveito desses recursos melhor, só ganha.“, completaram.

No entanto, nem todas as espécies de formigas que vivem perto de seres humanos estão interessadas em comer essas porcarias. Uma espécie, do gênero Lasius sp., só encontrada em Nova York nos últimos cinco anos, era abundante em calçadas, mas, de acordo com os níveis de carbono-13,  não parece gostar de alimentos humanos gordurosos e doces.

Site: theguardian/gizmodo/
Artigo: Stable isotopes reveal links ...
Imagens: Reprodução/ zmescience/gizmodo