Alimentação

Por que o álcool altera o comportamento das pessoas? Entenda os efeitos do álcool no organismo

“Gostaria de uma explicação biológica em porque o álcool altera o comportamento das pessoas” (Selma Maria)

Bem Selma, o álcool é um depressor do sistema nervoso central, podendo causar mudanças comportamentais e dependência. Atuando inicialmente como um estimulante, quando ainda em pequena quantidade no sangue, o álcool desinibe e causa sensação de euforia. Em seguida, conforme as concentrações da bebida aumentam no sangue, seus efeitos são o descontrole na percepção e capacidade de discernimento, a falta de coordenação motora, sonolência, falta de concentração, entre outros. Mas como isso ocorre?

O álcool interfere em vários sistemas/órgãos de nosso corpo, mas quando em excesso, atua principalmente no cérebro. Ao circular pelo corpo, as pequenas moléculas de álcool dissolvidas no sangue chegam ao cérebro e afetam os neurotransmissores, e consequentemente sua transmissão. O efeito inicial ocorre no lóbulo frontal do cérebro, que inibe a autocensura, ou seja, nossa noção de controle próprio mediante as nossas relações sociais. Há quem aponte que com a diminuição da censura a pessoa apresente apenas a personalidade própria dela. Em outras palavras, se a bebida deixa a pessoa muito “atiradinha” ou agressiva, isso significa que ela já era daquela maneira, apenas se reprimia para não demonstrar perante a sociedade. Pois é, parece que o ditado “a bebida entra, a verdade sai”, é verdadeiro!

Mas continuando nosso raciocínio, conforme a ingestão de álcool aumenta, outras partes do cérebro são atingidas, levando a outros estados emocionais, além de euforia e excitação. Dependendo da quantidade o álcool pode levar a estados de confusão, de letargia (a pessoa mal responde a estímulos ou se move), ao coma e até a morte. Assim, conforme outras áreas do cérebro são atingidas, ligadas a funções como sentimentos, memória, movimentos musculares, dentre outras, nosso comportamento e estado físico se altera. Outros órgãos do corpo também sofrem os efeitos do álcool, principalmente em termos de processos metabólicos ligados ao seu consumo. Um dos que mais sofre com tais efeitos é o fígado, que possui a função de eliminar toxinas e sobrecarrega-se ao metabolizar o álcool para tentar evitar danos ao nosso corpo.

mulher-bebada

No entanto, o consumo excessivo de álcool não apenas leva a dependência física e psicológica, como também causa danos a longo prazo aos nossos órgãos. Milhares de pessoas morrem todos os anos de cirrose, sofrem de doenças relacionadas ao sistema nervoso, doenças musculares, cardíacas, dentre outras, tudo por causa do alcoolismo. Em suma, o álcool pode causar ou piorar mais de 200 doenças! E os efeitos sobre quem bebe variam de acordo com altura, massa muscular, altura, frequência de consumo, estados de saúde, dentre outros fatores individuais. Por exemplo, uma pessoa de grande porte e que bebe com frequência será mais resistente aos efeitos do álcool e ficará bêbado com maior dificuldade. No entanto, certamente a saúde do indivíduo estará muito mais prejudicada do que alguém que pouco bebe.

Por fim, chamo atenção ao seguinte aspecto: o que faz mal não é a bebida, mas a quantidade! Uma taça de vinho ou um copo de cerveja no jantar até fazem bem, e ninguém é proibido de tomar. Apenas lembre-se que a diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Então beba com moderação.

Fontes: chabadcisa.org/correiodobrasil/  mundovestibularuol/  alcoolismo    
Imagens: Reprodução/clicrbs/ papodebar/
Comentários

Novidades

Topo