Anomalias e doenças

Cientistas criam uma espuma injetável que pode regenerar fraturas ósseas e amenizar os efeitos da osteoporose

Quem já sofreu uma fratura ou quebrou um braço, perna ou alguma parte do corpo sabe o quanto é doloroso esse tipo de acidente e o quanto é sofrido durante a longa recuperação, já que é necessária imobilização absoluta para que haja uma boa regeneração do tecido ósseo, não é fácil. Todavia, cientistas pensando em pessoas que sofrem de fraturas ou que possuem doenças como a osteoporose (diminuição progressiva da massa óssea) criou uma espuma que pode ser injetada nesses pacientes, na qual recuperam e regeneram as fraturas até mais rápido do que o tratamento usual, além de evitar cirurgias invasivas no paciente.

Essa novidade veio de cientistas da Universidade de Nantes, França (publicada na Acta Biomaterialia), que criaram uma espécie de espuma fazendo uso de substâncias como a metilcelulose hidroxipropil-sinalizada como um agente formador de espuma macroporosa. O osso é formado principalmente pelo mineral chamado de fosfato de cálcio, quando há fraturas graves, quebras e perda de tecido ósseo, o tratamento usual pela medicina é fazer uso do CFC que é uma espécie de cimento de fosfato de cálcio utilizado para ajudar na recuperação do tecido ósseo, esse procedimento é cirúrgico, invasivo e são excelentes, porém lentos para regeneração do osso, possui uma configuração microporosa permitindo que os nutrientes sejam absorvidos no local da fratura criando um novo tecido.


Esse processo de regeneração óssea além de ser invasiva apresenta lentidão na regeneração e ainda depende bastante das condições do paciente, tipo a idade, local da fratura, entre outros fatores. Os cientistas então pegaram o CFC e adicionou outra substância, a metilcelulose hidroxipropil-sinalizada, para dar macroporosidade através da espuma e garantir velocidade na regeneração óssea e perceberam que essa macroporosidade apresentou bons resultados em termos mecânicos, ou seja, na recuperação da mobilidade.

Muitos casos de Osteoporose poderão ser resolvidos com essa nova tecnologia.

Muitos casos de Osteoporose poderão ser resolvidos com essa nova tecnologia.

O teste foi realizado em coelhos, onde a espuma foi injetada no osso da coxa que apresentavam algum tipo de lesão. Após a análise dos resultados, verificaram que as substâncias não apresentaram toxicidade para os coelhos e que o material ajudou rapidamente a criar um novo tecido ósseo no local, ou seja, a espuma poderia ser usada nos seres humanos sem nenhum problema, além de viável e eficaz no tratamento de fraturas e doenças ósseas ou com alguma deformidade.

É claro que esse estudo ainda é preliminar e serão necessárias mais pesquisas sobre estas substâncias e sua utilização nos seres humanos, porém fica evidente que este trabalho e esta pesquisa tornam-se porta de entrada para maiores esclarecimentos e a busca incessante de novos tratamentos e medicamentos para doenças ósseas.

Fontes: rsc.org/ jornalciencia/ biotecnologia /   Imagens: Reprodução/ rsc.org / nof

Acesse nosso novo site! data-recalc-dims=

Comentários

Novidades

Topo