A nova ‘droga’ que virou moda nas baladas europeias é algo que provavelmente você já tomou hoje

Um pó marrom com cheiro absolutamente familiar, está se tornando uma febre nas raves da Europa. Assim como outros pós, os usuários esticam uma carreira e sugam pelo nariz e garantem que sentem uma agradável euforia.

O pó vem de uma planta da América tropical, é perfeitamente legal e você talvez tenha tomado agora a pouco por via oral: a planta é o Theobroma cacao e o pó é simplesmente chocolate. A ideia apareceu na rave Lucid, em Berlim, onde qualquer coisa que não seja o cacau, chás herbais e pratos vegetarianos são proibidos. Por causa disso, o consumo do chocolate em pó é mais comum em uma nova geração de raves que prega um ambiente positivo e saudável, sem drogas ilícitas e álcool.

Os defensores do cacau dizem que o barato é sutil, mas perceptível. Uma sensação de paz, prazer e concentração. Mas precisa ser cacau cru, não pode ser chocolate em pó (Nescau®, Toddy®). Ao que parece, o efeito do cacau viria da endorfina que entra na corrente sanguínea após o consumo. O magnésio, também presente no chocolate, funcionaria como um relaxante muscular. O chocolate tem também triptofano, que é relacionado à produção de um dos hormônios do bem-estar, a serotonina, contudo, a clara de ovo tem dez vezes mais que o chocolate. Também temos a feniletilamina, um composto que é liberado pelo cérebro durante o orgasmo, mas que é destruída pelos ácidos estomacais e nem chega a alcançar o cérebro.

1-2

Assim, os médicos acreditam que qualquer substância presente no chocolate estaria em uma quantidade mínima e que não poderia causar alterações de comportamento, e dizem que, provavelmente, o chocolate opera como um placebo entre os frequentadores das festas. Além disso, Dr. Robert Glatter, médico de emergência no Hospital Lenox Hill em Nova York, acrescenta que a inalação de qualquer tipo de produto alimentar residual pode danificar passagens nasais, levar a uma infecção bacteriana ou pior. “A inalação de componentes de cacau pode levar ao aumento da produção de muco, congestão nasal, bem como tosse e respiração ofegante, especialmente naquelas pessoas com antecedentes de asma ou doença pulmonar pré-existente“, completou.

A boa notícia é que ninguém vai morrer de overdose de cacau. Para alcançar uma dose letal, uma pessoa de 70 kg precisa consumir pelo menos 30 kg de chocolate puro.

Fonte: ozy/ super/foxnews/  oglobo  
  Imagens: Reprodução/foxnews/