Animais

Pesquisadores encontram esponja gigante Havaí. Ela pode ser o animal mais antigo do planeta

Pesquisadores encontram esponja gigante Havaí. Ela pode ser o animal mais antigo do planeta
Esse texto foi útil para você?

Enquanto exploravam águas profundas da costa do Havaí, pesquisadores encontraram uma esponja do mar gigantesca do tamanho de uma minivan, e este, pode ser o animal vivo mais antigo da Terra. “Ela tem, provavelmente de séculos a milênios de idade” disse o pesquisador-chefe do grupo Dr. Daniel Wagner.

A criatura foi descoberta a cerca de 2.100 metros de profundidade em uma área de conservação marinha entre o norte-ocidental Havaí e Midway. Esta é uma área quase totalmente inexplorada e foi descoberta por um submersível operado remotamente. Os pesquisadores utilizaram pontos de laser para medir as dimensões da esponja, em seguida, comparou-os com o tamanho do submersível.


Os cientistas descreveram o animal na revista Biodiversidade Marinha. Infelizmente, não é possível sabe exatamente a idade da esponja, já que estes animais não apresentam qualquer anel de crescimento normalmente encontrado nos corais. Naquela região, a idade dos corais é de 4 mil anos. Além disso, esponjas em águas rasas podem ser encontradas com 2 mil anos de idade. “A maior parte do planeta encontra-se em águas profundas, a grande maioria dos quais nunca foram exploradas” disse Wagner argumentando sobre a possibilidade de que esta esponja gigante seja um dos animais mais antigos do mundo. “As profundidades ‘intactas’, carregam grandes comunidades de esponjas e corais, juntamente com um monte de outros organismos associados com eles” completou.

Minivan-sea-sponge-jpg

Apesar de os especialistas dizerem que não foi possível identificar nem mesmo a nível de gênero, eles acreditam que este porífero pertence a uma espécie nunca identificado antes. Esta descoberta aguça a curiosidade dos biólogos marinhos que estão bastante animados com o que mais podem encontrar naquelas águas profundas.

Fonte: theguardianedition 
 Imagens: Reprodução/koco/bostonherald/

 


Comentários

Novidades

Topo