Curiosidades

Pesquisadores de Harvard descobriram que há 14 mil anos os europeus eram negros de olhos azuis

Pesquisadores de Harvard descobriram que há 14 mil anos os europeus eram negros de olhos azuis
Esse texto foi informativo para você?

Um estudo genético feito na Universidade de Harvard analisou o DNA de 51 euroasiáticos que vivem em diversos países europeus concluiu que há 14 mil anos habitantes da Europa eram negros e tinham olhos azuis. Esta pesquisa está fundamentada por uma amostragem dez vezes maior que qualquer estudo prévio. Além de contar com amostras de humanos modernos, foram usados também registros dos humanos antigos que viveram antes da revolução neolítica, há 45 mil anos, evento que caracteriza a mudança do Período Paleolítico para o Período Neolítico.

A pesquisa mostrou que os primeiros humanos de pele clara apareceram na Europa há aproximadamente 13 mil anos, após a chegada de agricultores que migraram do Oriente Médio. Isso quer dizer que até o ano 11 mil a.C., os europeus tinham, predominantemente, pele escura.


Após analisar as raças que viveram na Europa no decorrer dos milênios, os pesquisadores descobriram que houve uma ampla rotação entre elas. De acordo com o pesquisador e geneticista da Universidade de Harvard, David Reich, pelo menos, oito espécies humanas diferentes habitaram o continente nos últimos 43 mil anos. “É uma história muito complexa, com muitos momentos em que a populações substituem outras, imigração em uma escala dramática e em um momento no qual o clima estava mudando de maneira radical”, acrescentou.

article-2546421-1AF740EE00000578-852_634x165

Temos apenas 2% do DNA dos neandertais

Outra conclusão bastante reveladora deste estudo foi a respeito à porcentagem de DNA que carregamos dos neandertais, espécie que veio antes dos humanos modernos. Ao que parece a primeira geração vinda depois do cruzamento entre Homo neanderthalensis e Homo sapiens já carregavam muito pouco do código genético da espécie extinta. Hoje, nosso DNA é apenas 2% semelhante ao dos neandertais; há 35 mil anos, a semelhança estava era em torno de 6%.

article-2546421-1AF7404A00000578-454_306x423

Fonte: dailymail/forbes  revistagalileu/
   Imagens: Reprodução/ dailymailbr.pinteres

Comentários

Novidades

Topo