Anomalias e doenças

Israel sai na frente e apresenta a primeira pílula de insulina contra diabetes



Hoje, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 347 milhões de pessoas no mundo têm diabetes e é possível que este número possa ser em torno de 600 milhões em 2035.

Até agora, a única maneira de superar a doença é através de injeções de insulina. A pílula de insulina é o sonho de todo diabético, ela poderia tornar a convivência com a doença muito mais fácil, oferecer um tratamento precoce, retardar a progressão da doença, reduzir o risco de efeitos colaterais, como cegueira e atraso na necessidade de injeções.


A novidade é que o estudante Adi Mor do Departamento de Neuro-bioquímica da Universidade de Tel Aviv está colocando em teste o que poderia ser o primeiro tratamento baseado em pílulas para crianças e adultos com diabetes tipo 1. Os primeiros resultados mostram que o “medicamento” é eficaz e pode restaurar a produção de insulina em modelos animais. Isso poderia significar, de vez, o fim das agulhadas diárias sofridas pelos diabéticos.

O professor Yoel Kloog, o decano da Faculdade de Ciências da Vida da Universidade de Tel Aviv, conta que a novidade foi encontrada na proteína Ras, encontrado em 30% dos tumores de câncer humano. “Essa proteína, literalmente, deixas as células loucas“, diz o professor. O Prof. Kloog foi o primeiro no mundo a desenvolver um medicamento eficaz anti-Ras contra o câncer de pâncreas, que atualmente passa por ensaios clínicos. Agora, uma nova pesquisa publicada no European Journal of Pharmacology mostra que a droga pode ser capaz de retardar a progressão da diabetes também.

d5q6g801twvo2vmxkx8vcx0ub

Nosso composto anti-Ras tem mostrado resultados muito positivos na inibição da diabetes“, diz Mor. E dada a história da droga que já passou estudos de toxicidade para outras doenças e distúrbios, ela tem um potencial de fácil aprovação da FDA (Food and Drug Administration dos Estados Unidos), o que poderá levar o projeto direto para a fase II de ensaios clínicos. Um novo medicamento para a diabetes pode estar pronto em pelo menos cinco anos. Vamos aguardar!

Fonte: novonordisk/estadodeisraelisraelnationalnews/ ncbi  / 
   Imagens: Reprodução/saude.ig./ comoemagrecer
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.