Comportamento

Cientistas criam substância que pode apagar as rugas instantaneamente [vídeo]





Pesquisadores do departamento de química o Instituto de Tecnologia de Massachusetts – MIT, nos Estados Unidos, desenvolveram uma substância, na verdade um polímero que é capaz de simular uma segunda pele e pode apagar as rugas instantaneamente, dando uma aparência mais jovem e retirando aquelas marcas de expressão que aparecem com a idade.

Esse polímero quando aplicado sobre a pele forma uma camada de “tecido”, como se fosse uma “segunda pele” que é macio, flexível e invisível, ou seja, ninguém percebe, pois sua aparência é muito natural. O material utilizado nesta pesquisa é um polímero à base de silicone que imita todas as propriedades de uma pele jovem e saudável. Suas características possuem propriedades mecânicas e elásticas, além disso, a pele pode respirar e suporta a água, ou seja, é uma segunda pele mesmo que pode ir ao sol, tomar banho e ainda vai esconder suas rugas durante todo o dia, sem a necessidade de retoque, nem de cirurgia invasiva ou agressiva e se não estiver mais a fim de ficar com ela pode ser retirada tranquilamente no final do dia ou a qualquer hora.


A “segunda pele” está sendo analisada e estudada para servir não somente como tratamento estético, mas como proporcionar uma barreira contra microrganismos, e potencialmente, fazer utilização de medicamentos em locais afetados por certas doenças, ou seja, uma forma de levar substâncias para o organismo sem a necessidade de aplicação diária, isso é o que o professor adjunto e co-autor da pesquisa, Daniel Anderson do departamento de Química do MIT afirma, na qual essas propriedades de utilização seriam ideais na utilização nos seres humanos e ajudaria no tratamento de várias pessoas pelo mundo.

skin-1

O produto criado tem uma utilização bem simples e funciona em duas etapas: A primeira etapa consiste em aplicar um creme invisível que contém um polímero fabricado com uma substância chamada de siloxano, um grupo funcional organo-silício formado pela ligação química de silício com o oxigênio. A segunda etapa é aplicar um segundo creme branco que é catalisador de platina, isso vai ativar o polímero para formar ligações cruzadas formando uma espécie de “folha” fina e elástica sobre a pele e que pode difundir a luz dando uma aparência mais jovem.

O novo material foi batizado de XPL e tem o principal objetivo restaurar as propriedades naturais da pele humana, incluindo sua flexibilidade, elasticidade, jovialidade, além de uma aparência lisa, brilhosa e macia. Essa descoberta foi testada com sucesso em voluntários, porém os testes limitaram-se somente em tratamento estético, todavia, os cientistas continuam suas pesquisas e garante que a segunda pele pode ser aplicada em vários momentos e circunstâncias, como no tratamento de eczema, retirar marcas de nascença e na aplicação de medicamentos e antibióticos, ou seja, ainda tem muita coisa pela frente através dessa “nova pele” criada em laboratório!

Fontes: iflsciencenature 
 Imagens: Reprodução/iflscience

 

Comentários

Novidades

Topo