Animais

5 aves fofinhas que podem envenenar você

As aves são uma classe de vertebrados, bípedes, ovíparos, capazes de manter a temperatura do corpo constante. As características mais marcantes são: um par de asas, bico e um corpo revestido por penas. Encontradas nos mais diversos tipos de habitat, desde regiões desérticas até mesmo no frio polar. Devido à extrema capacidade de adaptação, algumas espécies desenvolveram a habilidade de obter veneno e utilizá-lo contra potenciais predadores.

Veja abaixo algumas espécies venenosas:

Pitohui-capuz

O Pitohui-capuz, também conhecido como “pássaro do lixo”, habita florestas tropicas, sendo endêmico da Nova Guiné. Possui veneno tóxico, conhecido como homobatracotoxina, que pertence a uma classe de compostos chamados batracotoxinas. Trata-se de um poderoso alcaloide neurotóxico, que tem a capacidade de provocar paralisia no corpo dos seres vivos, inclusive nos músculos do coração, podendo causar a morte. Seu veneno é localizado principalmente sobre as penas e pele da ave, mas também pode ser encontrado nos músculos, estômago e outros órgãos do animal. As plumas mais tóxicas estão presentes na barriga, peito e pernas. Acredita-se também que o pássaro  esfrega a toxina em ovos e ninho, protegendo-os de possíveis predadores como cobras, roedores e aves de rapina.

Pitohui-capuz (Pitohui dichrous)

Pitohui-capuz (Pitohui dichrous)

 O envenenamento ocorre quando a toxina entra em contato com a boca, olhos, pequenas feridas ou mucosas nasais da vítima que, quase instantaneamente, começa a sentir dormência, queimaduras e paralisia no local afetado.

Cientistas acreditam que a toxina presente nas aves tenha origem na alimentação que, é composta principalmente por besouros conhecidos como Nanisani, pertencentes à família Melyridae, sendo uma poderosa fonte da toxina.

Pássaro-amargo/Blue-capped ifrit

Pássaro-amargo/Blue-capped ifrit (Ifrita kowaldi)

Pássaro-amargo/Blue-capped ifrit (Ifrita kowaldi)

O Ifrita, também conhecido como Pássaro-amargo é endêmico da Nova Guiné. Mede até 16,5 cm de comprimento e tem uma plumagem marrom-amarelada com a coroa azul e preto. Habita florestas de montanhas com alta umidade, pode ser visto facilmente sozinho ou em grupos. Possui a mesma toxina que o Pitohui-capuz que, é encontrada em sua plumagem e tecidos moles. Sua alimentação é composta principalmente de insetos e acredita-se que seu veneno seja adquirido através de besouros.

Pequena Shrike-thrush

Pequena Shrike-thrush (Colluricincla megarhyncha)

Pequena Shrike-thrush (Colluricincla megarhyncha)

É encontrado nas florestas tropicais da Austrália, Indonésia e Nova Guiné. Durante um estudo, amostras da espécie foram testadas e descobriu-se  que nas penas haviam secreções de uma toxina semelhante à usada pelos anfíbios venenosos da América do Sul e Central.

Pato-ferrão

Pato-ferrão (Gambiensis plectropterus)

Pato-ferrão (Gambiensis plectropterus)

É considerado o maior ganso selvagem do mundo, sendo a maior ave aquática do continente africano, onde a mesma ocorre. Habita as áreas de planícies perto de cursos de água. Os machos são muito maiores do que as fêmeas, chegando a envergadura das asas à dois metros. A maior parte de suas penas são negras, sendo a cabeça e parte das asas brancas. O bico e as pernas são vermelhos. Absorve veneno de besouros tóxicos  que ingere, tornando  sua própria carne mortal para consumo.

Codorniz/Codorna-européia

Codorniz (Coturnix coturnix)

Codorniz (Coturnix coturnix)

Comumente encontrada na Europa. Essas aves são utilizadas como refeição durante séculos. As toxinas presentes nela  vêm afetando  alguns, mas não todos. Há relatos de pessoas que comeram carne da ave e tiveram vertigem, espasmos ou adquiriram rabdomiólise (doença que causa lesão muscular), destruindo rapidamente o músculo, entupimento da corrente sanguínea, podendo levar a morte. Estes sintomas se tornaram tão difundidos que houve um período que chegou a ser proibido o consumo da carne do animal. Mas porque nem todo mundo fica doente? Os cientistas suspeitam que algumas pessoas são mais  suscetíveis para certos venenos e propensos a ficarem doentes com a ingestão da toxina.
Acredita-se que o codorniz recebe  seu veneno neurotóxico, conina, a partir de sementes de cicuta (planta venenosa) que,  essas aves evoluíram para resistir, ao contrário dos humanos.

Fonte: mentalflosspeteducationslatescienceblogspnas   
Imagens: Reprodução/ frederic.pelsyfrederic.pelsybushberniezoojihlavapbase/
Comentários

Novidades

Topo