Animais

Estratégia reprodutiva: O espermatozoide da mosca da fruta é inacreditavelmente gigantesco!



Você certamente nunca viu nada igual, mas também como poderia imaginar uma coisa dessas? Das estratégias reprodutivas do mundo animal nada é tão… gigantesco… quanto o espermatozoide de uma certa mosquinha.

Não é mentira. Na Nature publicou um artigo recente em que mostrou que em algumas espécies de mosca da fruta, como por exemplo, a Drosophila bifurca, o machos que medem apenas alguns milímetros de produzir um espermatozoide com uma cauda medindo até 5,8 centímetros. Se formos comparar com o tamanho corpo, o esperma surpreende desproporcionalmente e supera os espermatozoides de todas as espécies já conhecidas do mundo animal.


Segundo o co-autor do artigo, Dr. Scott Pitnick, da Universidade de Syracuse, em Nova York, a função do espermatozoide gigante da mosca da fruta se tornou um desafio para ele se seus colegas. Ao que parece, há uma interação complexa de benefícios tanto para os machos quanto para as fêmeas. Enquanto para nós, humanos, a grande quantidade de espermatozoides permite fecundar várias fêmeas, as fêmeas de mosca da fruta tendem a copular com mais frequência, intensificando a competição de espermatozoides vindos dos machos com o qual copula.

Os cientistas dizem que não é só o macho que possui especialização reprodutiva. As fêmeas de mosca da fruta têm os órgãos reprodutores de armazenamento mais longos, adaptados para receber o espermatozoide gigante. Se um macho é capaz de produzir um “megaespermatozoide” (como na imagem), esses tendem a ser os únicos com bons genes susceptíveis de gerar descendentes mais fortes.

052416_sm_fruitfly-inline-730

Em vermelho temos a estrutura usada para cortejo da fêmea em cada animal. Espermatozoide da mosca da fruta o mais desproporcionalmente exagerado, de acordo com um índice ajustado para o tamanho corporal.

Fonte:  nature/  sciencenews  
 Imagens: Reprodução/S. LÜPOLD ET AI / NATURE 2016
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.