Alimentação

A Coca-Cola® fabricada no Brasil possui maior concentração de substância cancerígena no mundo

A Coca-Cola® fabricada no Brasil possui maior concentração de substância cancerígena no mundo
Esse texto foi útil para você?

Um teste realizado pelo Center for Science in the Public Interest (CSPI), de Washington D.C. revelou que a Coca-Cola vendida no Brasil possui a maior concentração do 4-metil-imidazol (4-MI), subproduto presente no corante Caramelo IV, classificado como supostamente cancerígeno depois de teste toxicológicos com ratos.

Além da Coca-Cola® fabricada no Brasil, latinhas vendidas no Canadá, Emirados Árabe, México, Reino Unido e nos Estados Unidos também foram avaliadas quanto a concentração do 4-metil-imidazol. Infelizmente, de todos, o Brasil foi o país na qual essa substância apareceu em uma concentração superior às demais. O estudo mostrou que o refrigerante vendido no Brasil contém 267 microgramas de 4-MI para cada latinha. O mais assustador é que essa concentração é muito maior quando comparada com a Coca-Cola® vendida no Quênia, que ficou na segunda posição, com 170 microgramas por latinha.


O governo da Califórnia estipulou a necessidade de uma advertência nos alimentos que contiverem mais que 29 mcg da substância. No entanto, a Coca-Cola® do Brasil traz nove vezes o limite diário de 4-MI.

Uma pesquisa da Revista do Idec (edição 165) verificou que a regulação brasileira sobre o tema é falha e que os fabricantes de refrigerantes e bebidas energéticas não estão dispostos a informar ao consumidor a quantidade da substância tóxica em seus produtos. “Acreditamos que uma postura preventiva deve ser adotada, já que é a saúde dos consumidores que está em jogo”, ressalta a advogada do Idec.

Os responsáveis por estes estudos que trouxeram tais revelações à tona, espera que os limites do Caramelo IV nos alimentos e a legislação atuais, tanto internacional como nacional, sejam alterados.

Fonte: revistaforum / cspinet   Imagens: Reprodução/ fatosdesconhecidos

Comentários

Novidades

Topo