Anomalias e doenças

Por causa de doença genética que faz com que nunca sintam dores, irmãos indianos comeram os próprios dedos

Roer unha e mordiscar a pele do cantinho das unhas foi levado muito ao pé da letra por duas crianças indianas. Manisha, 7 anos, e Dinkal Patel, 5, de Raipur, da Índia simplesmente “comeram” a ponta dos dedos sem  sentir qualquer dor.

Os pais das crianças não atentaram para essa condição até que chegaram em casa um dia e ficaram surpresos quando encontraram os dedos das crianças cobertos de sangue. Foi uma surpresa quando perceberam que os irmãos haviam arrancado sem sentir absolutamente nada. “Eu não pude acreditar que eles estavam comendo os próprios dedos”, disse o pai a um repórter da Índia. “Era uma visão horrível, parecia que os dedos tinham sido mordidos por ratos”, acrescentou. Após isso, o pai levou as crianças para um hospital local.


Os pais contam que as crianças choravam pouco desde que nasceram e nunca reclamavam dos machucados sofridos durantes as brincadeiras, mas achavam que isso era apenas uma resistência e jamais imaginaram que seriam incapazes de sentir dor.

As crianças foram diagnosticadas com uma Insensibilidade Congênita à Dor (CIPA). Nessa doença, as pessoas são normais quanto ao tato, ao frio, ao calor, pressão e “cosquinhas”. No entanto, diante de qualquer ato que em pessoas normais provocaria dor (como fincar uma agulha, levar um beliscão) não provoca nenhuma sensação dolorosa. Como consequência disto, costumam morrer mais jovens por traumatismos e lesões ao não sentir nenhum dano. É um transtorno hereditário que afeta a função de nervos ao longo de todo o corpo.

31C6247C00000578-0-image-a-3_1456935017726

A CIPA acontece devido a uma mutação num gene encarregado da síntese de um tipo de canal de sódio que se encontra principalmente em neurônios encarregados de receber e transmitir o estímulo doloroso, ou seja, quem possui a doença não sente dores de forma alguma.

Fonte:  jornalcienciadailymail

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Comentários

Novidades

Topo