Animais

Eslovênia espera ansiosa o nascimento de “bebês de dragões”

A salamandra proteus (Proteus anguinus), também chamado de peixe humano pelos habitantes locais devido á semelhança da sua pele com a humana, é um anfíbio  que vive apenas nas águas subterrâneas que fluem debaixo do solo através da extensa região calcária que inclui as águas da Itália, através do sul da Eslovênia, sudoeste da Croácia, e a Herzegovina.

Por ser de águas subterrâneas, adaptou-se a esse habitat, com olhos  subdesenvolvidos, tornando-os cegos, enquanto que os seus outros sentidos, particularmente o olfato e a audição, sendo bastante desenvolvidos. Não tem nenhuma pigmentação na sua pele. Ao contrário da maior parte dos anfíbios, o proteus é exclusivamente aquático e come, dorme e reproduz-se debaixo de água.


Em um aquário na caverna Postojna, na Eslovênia, uma fêmea colocou entre 50 e 60 ovos – e três estão mostrando sinais de crescimento. O proteus é uma espécie de ícone na Eslovênia, onde aparecia em moedas antes da chegada do euro. Há centenas de anos, quando enchentes expulsavam as criaturas para fora das cavernas, eram tidas como bebês de dragões.

Cerca de 60 ovos foram colocados.

Cerca de 60 ovos foram colocados.

Postojna tem um sistema de cavernas desse tipo, com sua própria população de proteus selvagens. Mas esses ovos, especificamente, foram colocados em um aquário da movimentada área aberta para visitantes da caverna. Todos os animais, exceto a mãe, foram removidos e o aquário está protegido da luz. Oxigênio extra está sendo adicionado de forma artificial. Uma câmera infravermelha transmite imagens a uma tela próxima para que a equipe da caverna, assim como os turistas, possam ver o que acontece.

Apesar da aparente falta de movimento, às vezes a fêmea proteus se mexe para checar os ovos, colocar mais um ou se proteger de anfípodes – crustáceos pequenos e famintos que ela não pode ver, mas que detecta usando órgãos eletrossensíveis em seu focinho. É uma oportunidade única de observar o enigmático proteus se reproduzindo.

Estima-se que levará pelo menos quatro meses até que os ovos comecem a vingar.

Estima-se que levará pelo menos quatro meses até que os ovos comecem a vingar.

Fonte: BBC Brasil e livro Zoologia de invertebrados autor: Brusca e Brusca.   Imagens: Reprodução/  BBC 
Brasil
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.