Anomalias e doenças

  Uma criança em coma cresce? Entenda o que ocorre durante esse estado de inconsciência

“Supondo que uma criança (pré adolescente) entre em coma e permaneça assim por muito tempo, ela irá crescer e se desenvolver naturalmente, tendo uma aparência de adolescente, e depois de adulta ?” (Cecília Santos)

Cecília, sua dúvida é complexa! Antes de explicar o porquê, vou falar brevemente o que é o coma. O coma é um estado de inconsciência profunda, no qual o paciente, apesar de possuir funções vitais como a respiração e o funcionamento dos órgãos, não consegue reagir a estímulos externos. É como se a pessoa estivesse dormindo, mas o que diferencia é que no coma ela não possui um estado de vigília, e nem consegue acordar. A pessoa, inclusive, nem mesmo sonha. E porque o cérebro “desliga” dessa forma? Bom, são vários motivos, que variam desde traumas cranianos e uso de drogas, até problemas de saúde metabólicos, derrame (AVC), enfarto, tumores, hipoglicemia (a falta de açúcar no sangue), dentre tantas outras (para saber mais, clique aqui).


No coma o cérebro trabalha em seu estado mais básico de funcionamento. Ele se detém a manter as funções vitais. O objetivo dos médicos é manter o paciente vivo através de sondas de alimentação com os nutrientes mínimos, máscaras de oxigenação (em casos em que a função cardiorespiratória possa estar prejudicada), medicações (como antibióticos para infecção cerebral ou glucose para casos de choque diabético), dentre outras medidas. Claro que uma pessoa nesse estado não tem suas funções normais. Além de estar com o mínimo de funcionamento de seu cérebro e de seu metabolismo, outros fatores internos e externos podem influenciar em seu crescimento (no caso de ser uma criança).

É comprovado que vários fatores estão relacionados ao crescimento, pois além dos genéticos e hormonais, questões relacionadas ao ambiente em que a criança vive, sua alimentação, as atividades físicas que desenvolve, e até mesmo alguns fatores psicológicos, podem influenciar. Agora pense em uma criança em coma, se alimentando por sonda, sem mexer o seu corpo (em uma fase que precisaria estar muito ativa), sem contato mental com o mundo externo… São muitos fatores para pensar que uma criança, nesse estado, poderia se desenvolver normalmente. Aliás, a chance de uma criança sobreviver a um coma já é menor do que a de um adulto. Por isso, se você procurar na internet, verá que não se falam muito em casos como este. Na maioria dos casos relatados de coma, as pessoas estão, no mínimo, próximas a idade adulta.

nurse-secrets-2011-13-sl

Além desses fatores, um outro importante é a causa do coma. Se as lesões são na região cerebral, temos de pensar que depende também da área que foi atingida. Por exemplo, o tálamo, que fica embaixo do cérebro e exerce ação sobre várias glândulas, principalmente a hipófise, está intimamente relacionado a produção do hormônio do crescimento (GH). Caso essa região seja atingida durante um traumatismo que leve ao coma, por exemplo, a situação agravaria. No caso dos músculos, tanto em adultos como crianças, haveria uma atrofia pela falta de uso.

Agora, quanto a aparência, claro que mudaria ao longo dos anos. O processo de envelhecimento ocorre a nível celular (saiba mais, clique aqui) e, portanto, enquanto estivermos vivos, ele ocorrerá. Mesmo com um corpo franzino, frágil, com a mente em coma… se a pessoa for capaz de estiver viva, ela envelhecerá. Não tem jeito, enquanto respirarmos envelhecer é um fato! Portanto, Cecília, não sei se é possível explicar a sua pergunta com precisão (até por falta de casos na literatura), mas tentei fazer aqui algumas explanações “sobre como seria se”… Espero ter ajudado.

Fonte: revistavivasaudeuffrevistaescolasaude/
 novaescolaclubeendocrinoebahportaleducacao/   Imagens:  Reprodução/ healthtap/
 rd

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Comentários

Novidades

Topo