Pão branco aumenta a quantidade de bactérias benéficas ao intestino, diz estudo

Quem gosta de pão branco não precisa mais se sentir culpado. Cientistas descobriram que este tipo de pão, antes muito criticado, parece encorajar o crescimento de bactérias intestinais benéficas ao organismo.

O estudo, publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry  deixou claro que as bactérias intestinais ou microbioma, desempenham um importante papel na nossa saúde. Quando determinados tipos de bactérias tem seu número reduzido, a pessoa pode ficar vulnerável a vários tipos de doenças. Uma das maneiras mais eficazes para manter um bom equilíbrio do nosso microbioma é investindo em uma boa dieta.

A equipe de SoniaGonzález, autora principal do estudo, investigou o papel dos polifenois, comuns em alimentos como chás, frutas e legumes, no equilíbrio dos microrganismos do sistema digestivo. Eles avaliaram a dieta de 38 adultos saudáveis e examinaram a presença de microrganismos nas fezes dos voluntários.

A análise mostrou que a pectina, um composto de frutas cítricas, diminui os níveis de algumas bactérias úteis. No entanto, a descoberta mais  inusitada foi que  as pessoas que ingeriam pão branco diariamente tinham mais  bactérias benéficas (Lactobacillus ),  presentes em amostras de fezes dos participantes.

1656395_700932209929727_1981582803_n

Os lactobacilos (lactobacillus) são bactérias inofensivas que se alimentam de matérias orgânicas. Elas vivem principalmente no trato intestinal fazendo parte da constituição da flora intestinal. Tais bactérias, ajudam a prevenir infecções e doenças causadas por outras bactérias. Eles não combatem diretamente estes micro-organismos prejudiciais, mas ajudam a reduzir sua proliferação através de seus antibióticos naturais, principalmente devido a competição por nutrientes. Os lactobacilos são inúmeros e se reproduzem muito rápido, desta forma, não permitem a sobra de nutrientes para as bactérias causadoras de doenças.

Para quem for consumir este tipo de pão, tome cuidado com os excessos. Ele está associado à obesidade por conter, em quase sua totalidade, carboidratos simples, que, em doses elevadas, podem levar ao desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares.

Fonte: myscienceacademydocedietadaquidali   Imagens: Reprodução/falecomanutricionistasciam